AMARANTE

Internacional

Prédio desaba na Índia e deixa 02 mortos

Mais de 20 famílias moravam do edifício.
Dezenas de pessoas desapareceram após prédio ruir pela manhã.

Avatar

Publicado em

Internacional

Um prédio de cinco andares desabou em Mumbai, na Índia, nesta sexta-feira (27). Segundo autoridades, duas pessoas morreram e dezenas estão desaparecidas entre os escombros do edifício.

Não há ainda informações sobre o que levou o prédio a ruir no começa desta manhã, quando a maioria de seus moradores ainda estava dormindo.

Segundo o chefe de controle de desastres na cidade, Mahesh Naverlar, “há pelo menos dois mortos e oito feridos”.

O número de soterrados ou desaparecidos, porém, não foi confirmado pelas autoridades.

“Pensamos que 70 pessoas estão presas nos escombros”, disse à AFP Alok Avasthy, diretor da autoridade nacional de gestão de catástrofes.

Equipes de resgate trabalham nos escombros à procura de vítimas. Várias ambulâncias e unidades dos bombeiros foram enviadas para o local.

Sete pessoas foram resgatadas com vida dos escombros, disse Manisha Mahiskar, funcionário da Corporação Municipal Brihanmumbai, empresa proprietária do edifício.

De acordo com testemunhas era possível ouvir os pedidos de ajuda dos sobreviventes.

Segundo as autoridades municipais de Mumbai, o prédio era habitado por funcionários do governo local e suas famílias, que receberam um pedido para abandonar o edifício no início do ano.

Leia Também:  Grave acidente na PI 113 deixa três mortos e um ferido

“O prédio tinha 30 anos. Pedimos aos habitantes que deixassem o imóvel em abril, mas não aceitaram”, declarou Vijay Khabale-Patil, porta-voz do governo, que não explicou o motivo da solicitação feita às famílias.

Os desabamentos em áreas urbanas são frequentes na Índia, pois, na maior parte das obras, são utilizados materiais de péssima qualidade e as mesmas não obedecem à legislação.

Nos últimos meses, cinco prédios de apartamentos desabaram em Mumbai e seus arredores.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Internacional

Situação do continente Africano na pandemia: entenda!

Avatar

Publicados

em

Desde que o coronavírus começou a se espalhar pelo mundo, os países tomaram atitudes diversas para reduzir a taxa de contaminação. Mas o que aconteceu na África? Entenda a situação do continente africano na pandemia.

O desenvolvimento da doença
Quando a pandemia mostrou seus primeiros sinais, ainda no ano passado, grandes líderes mundiais demonstraram preocupação com a situação do continente africano. Afinal, trata-se de uma região com recursos limitados.
Entretanto, para surpresa de todos, a África tem mostrado uma resposta diferente da prevista, com índices de contaminação e mortes muito menor do que visto em países como o Brasil, que tem uma população menor.
Os cientistas ainda estudam uma explicação para o baixo desenvolvimento da doença, e já conseguem elencar alguns fatores que podem impactar na situação.

Além de ter uma população mais jovem, a África passou recentemente pela epidemia do Ebola, o que fez com que os países tivessem planos emergenciais prontos.

A situação do continente africano na pandemia também não é tão grave pelo contato das pessoas com o exterior menor do que vemos em outras regiões.

Como fica o turismo no continente
Se a situação do continente africano na pandemia é surpreendentemente positiva, muita gente tem voltado sua atenção para os atrativos turísticos que a região oferece.
Os brasileiros, motivados pela alta do dólar e pelas restrições de viagens aos destinos mais famosos, começaram a perceber as possibilidades oferecidas pela África.
A maioria dos países do continente apresenta restrições moderadas quanto à entrada de turistas, o que faz com que haja a exigência da apresentação de resultado negativo para o teste de Covid-19 e quarentena de alguns dias na chegada ao destino.

Leia Também:  Presidente do Irã diz que armas químicas mataram pessoas na Síria

Apesar disso, a situação do continente africano na pandemia permite que o turismo aconteça, ainda que tenha algumas adaptações.

Viajar para a África é possível?
Se você está pensando em viajar para a África e conhecer todas as belezas do local, saiba que essa é uma possibilidade.

Destinos como Egito, África do Sul, Etiópia e Zimbábue são alguns dos países que estão abertos aos turistas com restrições moderadas.

Já a Angola, que é um país com maior procura dos turistas, está com uma situação mais controlada.

Mas o setor de turismo mostra que é possível lidar com as restrições: os melhores hotéis em Benguela, por exemplo, utilizam medidas de proteção sanitária que colocam os turistas em uma condição de baixo risco.

O que saber antes de viajar para a África?
Além de ter certeza sobre a situação do continente africano na pandemia, é importante que o turista brasileiro se atente para alguns detalhes antes de embarcar em uma viagem.

O primeiro deles é o visto de entrada. Os maiores países da África não exigem um visto específico dos moradores do Brasil, mas existe uma parcela grande de destinos que solicita a apresentação da liberação de entrada.

Leia Também:  Cientistas da Inglaterra criam pílula antirressaca

A melhor forma de saber se o seu destino precisa ou não de visto é pelo Portal Consular do Itamaraty. Basta acessar o site e identificar o país que você pretende visitar para visualizar as informações.

Além disso, o continente africano exige o certificado internacional de vacina, que atesta que o turista foi vacinado contra a febre amarela.

Se você já foi vacinado, pode solicitar seu certificado pela internet. Para aqueles que não foram, a dica é fazer a solicitação no momento da vacinação, na agência de saúde.

Por fim, tenha em mente que apesar da situação do continente africano na pandemia ser positiva, é preciso tomar todos os cuidados para diminuir os riscos para você e para os outros.

Dessa forma, sua viagem será um momento para acumular boas lembranças e fazer uma imersão cultural – coisas que o continente africano tem experiência em oferecer.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

PIAUÍ

POLÍCIA

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA