AMARANTE

Piauí

Polícia cumpre mandados de busca e apreende dinamites que seriam usadas em assaltos no PI

Avatar

Publicado em

Piauí

operacao brasil integrado no-piaui

A operação Brasil Integrado, deflagrada pelo Ministério da Justiça, através da Secretaria Nacional de Segurança Pública em 11 estados resultou em prisões e apreensão de artefatos explosivos.
Somente no Piauí, mais de 50 militares, além de 30 homens da Força Nacional e 20 agentes da Polícia Rodoviária Federal integraram a operação.
No bairro Santa Maria da Codipi, zona norte de Teresina, a polícia fez a apreensão de explosivos e drogas. Na ocasião foram cumpridos sete mandados de busca. Seis pessoas foram conduzidas à delegacia, dentre elas, mulheres e menores. A ação aconteceu na manhã desta quarta-feira, 7.
“O material possivelmente seria usado em assaltos em caixas eletrônicos ou bancos”, disse o delegado Carlos César Camelo em entrevista à TV Cidade Verde.
Os supostos envolvidos deverão ser responsabilizados pela posse dos explosivos, mas “o próximo passo da operação é prender o verdadeiro dono dos explosivos”, disse o delegado.
“Acreditamos que esse material era apenas guardado por esses moradores e outros criminosos era quem utilizavam. Geralmente eles usam casas pobres para guardar o material e escaparem da polícia”, encerrou.
Segundo a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Segurança, “no Piauí as prisões foram por tráfico de entorpecentes, posse de material explosivo e associação criminosa, além de foragidos da Justiça por homicídio e estupro”.
20151007054310
Edição e postagem: Denison Duarte
Com informações da Secretaria de Segurança

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Vigia Atropelado Por Caminhão Baú Morre em Castelo do Piauí
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Piauí

MPPI realiza audiência sobre o transporte público coletivo de Teresina

Avatar

Publicados

em


O Ministério Público do Estado do Piauí realizou, na última sexta-feira (14), uma audiência sobre o transporte público coletivo de Teresina. A audiência contou com a participação de representantes da Procuradoria-Geral do Município de Teresina, do Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Teresina (SETUT) e da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (STRANS).

A promotora de Justiça Maria das Graças do Monte Teixeira, titular da 32ª Promotoria de Justiça de Teresina, especializada na defesa dos consumidores, ouviu todos os participantes, a fim de obter informações sobre a situação atual do transporte público coletivo e, consequentemente, de cobrar providências das autoridades competentes.

Os representantes do SETUT alegaram que o sistema do transporte coletivo passa por grandes dificuldades, agravadas pela pandemia do coronavírus e a redução dos passageiros. De acordo com eles, o poder público municipal, nesta gestão e nas anteriores, descumpre os contratos com os consórcios responsáveis pela prestação do serviço. Os representantes do sindicato destacaram que até os acordos judiciais celebrados na gestão anterior estariam sendo descumpridos.

Leia Também:  Vigia Atropelado Por Caminhão Baú Morre em Castelo do Piauí

Destacaram, ainda, que a remuneração das concessionárias, segundo as disposições contratuais, deveria ser feita através da arrecadação global do sistema de transporte coletivo urbano, que é composta pela arrecadação tarifária acrescida do subsídio – o qual tem o papel de custear, dentre outros itens, a diferença de arrecadação decorrente da diferença entre a tarifa tecnicamente apurada e a de fato implantada, a concessão do benefício de meia passagem e outra série de gratuidades concedidas por força de lei. Contudo, o Município de Teresina estaria se recusando a efetuar o pagamento desses subsídios.

O superintendente Cláudio Pessoa, representante da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito, ressaltou que a STRANS está aberta a receber todas as manifestações e informações das empresas, a fim de viabilizar um serviço de qualidade para a população. Declarou, ainda, que existem diversas falhas no sistema e que as prestadoras dos serviços também precisam cooperar para que as deficiências sejam sanadas. Realçou que a Superintendência vem realizando os pagamentos de sua atribuição.

A promotora de Justiça Maria das Graças destacou a necessidade de cobrar informações da Prefeitura de Teresina e da Secretaria de Finanças sobre o atraso no pagamento devido às empresas do setor. Por sua vez, o promotor de Justiça Fernando Santos, titular da 44ª Promotoria de Justiça, reforçou a necessidade da celebração de um acordo entre município e consórcios, a fim de corrigir a questão dos pagamentos e outros itens, sob o risco de, em breve, o sistema do transporte coletivo público entrar em colapso, o que causaria prejuízos imensuráveis aos cidadãos.

Leia Também:  Avião de pequeno porte cai no interior do Piauí

O procurador do Município de Teresina, Ricardo de Almeida Santos, se colocou à disposição da STRANS para auxiliar nas tratativas de eventual acordo. Ao final da audiência, os participantes foram informados da data da futura audiência, marcada para 24/05/2021, com o intuito de debater as propostas do acordo entre concessionárias e administração municipal.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

PIAUÍ

POLÍCIA

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA