AMARANTE

Notícias de Amarante

Ministério Público Federal denuncia prefeito de Amarante por desvio abusivo de recurso público

Avatar

Publicado em

Notícias de Amarante

O prefeito de Amarante, Luiz Neto, e assessores das Secretarias Municipais de Saúde e Finanças estão sendo investigados pela Polícia Federal por supostos desvios e apropriações indevidas de recursos públicos por meio de esquema criminoso, segundo o MPF.

No esquema, a Polícia Federal constatou a realização de saques de altos valores das contas da prefeitura sem a efetiva contraprestação em serviços e produtos.

Figuram-se como assessores integrantes do esquema Aneli e Silva Neto, (secretária de Finanças), Cláudia Maria de Lima Costa (tesoureira da Secretaria Municipal de Saúde), e Francisco Edson de Sousa (auxiliar administrativo da Secretaria Municipal de Saúde).

A investigação é resultado da Operação Geleira, deflagrada pela Polícia Federal no Estado do Piauí em 2011. A denúncia foi feita inicialmente pela procuradora Valquíria Quixadá Nunes, da Procuradoria Regional da República da 1º Região, em Brasília.

Os desvios, segundo o Ministério Público Federal, totalizam R$ 174.251,48, resultado da simulação de aquisição de produtos de papelaria, informática, material hospitalar e medicamentos, com a utilização de Notas Fiscais frias e empresas fantasmas para justificar a aplicação das verbas desviadas.

Leia Também:  Adapi em Amarante deve imunizar 12.5 mil animais contra a febre aftosa

A imprensa do Piauí tentou, de forma frustrada, estabelecer contatos com o prefeito de Amarante.

Se condenados, os envolvidos no esquema perderão seus mandatos e ainda terão que devolver todo o recurso desviado.

VEJA COMO ERA FEITO O ESQUEMA
De acordo com a denúncia, a organização criminosa era composta por prefeitos, secretários municipais e servidores, responsáveis por sacar os recursos das contas das prefeituras sem a efetiva contraprestação em serviços ou produtos.

Com a ajuda de contadores e lobistas, entravam em contato com empresários, que forneciam os documentos falsos ou superfaturavam licitações, quando ocorriam. As notas frias eram usadas para justificar as contratações inexistentes perante o Tribunal de Contas do Piauí.

Segundo o Ministério Público Federal, o esquema teria durado por, pelo menos, quatro anos em municípios piauienses e envolvido desvio de verbas federais, estaduais e municipais em 34 prefeituras.

Sanções
Os acusados poderão responder por desvio de verbas, crime tributário e associação criminosa. O MPF aguarda o recebimento da denúncia pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região, em Brasília. Se condenados, os réus ainda podem perder os cargos públicos e ter que ressarcir o dano causado ao erário.

Leia Também:  Em Amarante, meninada entra no ritmo da folia no Carnaval das escolas Pitágoras e Pitágoras II

Edição e postagem: Denison Duarte
Fotos e informações: cidadeverde.com

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
2 Comentários

2 Comments

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Notícias de Amarante

Em Amarante, uma pessoa fica gravemente ferida durante disparos de arma de fogo no Cajueiro

Avatar

Publicados

em

Um desentendimento no bairro Cajueiro terminou com uma pessoa baleada na tarde deste domingo. A vítima, conhecida apenas como Itamar, foi encaminhada para atendimento médico no hospital de Amarante.

Não há confirmação da Polícia Militar sobre as reais causas do ocorrido. O autor do disparo, segundo o policial Jorge, é de Amarante. “O suspeito é do Pé de Pequi (bairro Areias). O que se sabe é que tudo aconteceu por motivo fútil”, disse ele.

O comandante do 18º Grupamento de Polícia Militar (GPM), sargento Vieira, informou ao Somos Notícia que “a vítima foi atingida com um tiro abaixo do umbigo”.

Ainda, segundo a Polícia Militar, Itamar foi transferido para o Hospital Dr. Francisco Ayres Cavalcante, em Amarante, onde aguarda transferência para Teresina.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Polícia Civil apreende adolescente em Amarante suspeito de roubo de equipamentos eletrônicos
Continue lendo

CIDADES

PIAUÍ

POLÍCIA

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA