AMARANTE

MARANHÃO

Homens matam ex-presidiário a tiros em Imperatriz e deixam duas pessoas feridas

Avatar

Publicado em

MARANHÃO

ex-presidiário morto imperatriz

Na região central de Imperatriz-MA, um ex-presidiário conhecido como Elielson Alves dos Santos, de 24 anos, morreu com disparos de arma de fogo na tarde desse sábado.

A vítima estava em um veículo de transportes por aplicativo quando foi alvejada com três disparos. Dois colegas de Elielson Alves, que também estavam no veículo, foram feridos de raspão.

Eles teriam dito que Elielson conversava ao celular e teria pedido para o condutor parar o veículo, que logo foi abordado por dois homens em uma moto de cor preta.

A moto usada pelos autores dos disparos, segundo a polícia, estava em nome de Elielson. Depois de uma conversa de aproximadamente um minuto, com a vítima, os autores do crime sacaram uma pistola .40 e efetuaram os disparos.

A vítima era um ex-presidiário da Unidade Prisional de Ressocialização de Imperatriz (UPRI). Elielson teria sido denunciado como co-autor de um crime que teria deixado uma pessoa morta em setembro de 2017. A vítima desse homicídio foi identificada como Wilan Ferreira Alves. O assassinato ocorreu na BR-010.

Leia Também:  Suspeito de estuprar deficiente física de 12 anos é preso no Maranhão

Os suspeitos que mataram Elielson empreenderam fuga e não foram capturados e nem localizados. A Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) vai investigar o caso.

COMENTE ABAIXO:
Avatar

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

MARANHÃO

Operação Finita Servus investiga trabalho escravo no Maranhão e cumpre mandados

Avatar

Publicados

em

O tráfico de pessoas em situação análoga à escravidão virou alvo de uma operação da Polícia Federal no Maranhão. Pelo menos cinco mandados de busca e apreensão já foram cumpridos na operação, que foi batizada de “Finita Servus”, sendo dois em Santa Inês, um no Centro Novo do Maranhão, além de dois em São Joaquim-SC.

A Polícia Federal informou que trabalhadores são aliciados, por meio de fraude e abuso da condição de vulnerabilidade das vítimas, que recebem promessas de trabalho, alojamento e também alimentação e são levados para o estado de Santa Catarina, tudo pago pela empresa contratante.

As vítimas somente descobrem que foram enganadas quando chegam no destino, onde passam a morar em alojamentos sem condições mínimas de viver com dignidade, além de terem parte do salário e documentos retidos pelos empregadores com a justificativa de pagamento pelas despesas do período.

Os investigados podem responder por crimes de reduzir alguém à condição análoga à de escravo e de tráfico de pessoas. As penas somadas podem alcançar 16 anos de reclusão e multa.

Leia Também:  Pai e mãe do deputado federal Cléber Verde são mortos no Maranhão; menores estão apreendidos e um suspeito morto

Segundo a Divisão de Fiscalização para Erradicação do Trabalho Escravo (Detrae), 20% dos trabalhadores resgatados em situação análoga à escravidão no país são naturais do Maranhão.

Operação Finita Servus

A operação foi denominada Finita Servus, termo oriundo do Latim utilizado no Império Romano indicando o fim da escravidão.

 

Com informações do G1

COMENTE ABAIXO:

Continue lendo

CIDADES

PIAUÍ

POLÍCIA

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA