Herdeiras de fundador do Bradesco perdem R$ 3,09 bi na Justiça

Brasil
Duas das filhas do banqueiro fundador do Bradesco, Amador Aguiar, perderam uma ação bilionária na Justiça. O caso é considerado o maior processo de herança do país. As informações são do "Valor Econômico".

Segundo a Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Lia e Lina Maria Aguiar não têm direito a receber, a título de herança, recursos que poderiam chegar a 4% das ações ordinárias do banco (avaliadas em R$ 3,09 bilhões).

Segundo a "Forbes", Lina e Lia Aguiar estão entre as pessoas mais ricas do país, com fortunas avaliadas em R$ 2,86 bilhões e R$ 2,35 bilhões, respectivamente.

A decisão judicial foi tomada no final do mês passado. Porém, segundo o advogado das herdeiras, elas irão entrar com um recurso para tentar reverter a decisão.

A briga na Justiça já dura mais de duas décadas. Segundo o "Valor", as filhas de Aguiar entraram na Justiça, após a morte do pai, em 1991, para obter valores de ações da Fundação Bradesco numa rediscussão da herança deixada pelo pai.

Compartilhe este post
Cinara Cristina Canal da SorteMacedo CarnesSabores da TerraCitopatologista Dra JosileneAri ClinicaAfonsinho AmaranteFinsolComercial Sousa Netoclinica e laboratorio sao goncaloCetec AmaranteEducandario Menino JesusMercadinho AfonsinhoPax Uni~ão AmarantePax Uni~ão AmaranteDr. JosiasPier RestobarPax Uni~ão AmaranteHospital de OlhosIdeal Web, em AmaranteMegalink AmaranteSuper CarnesInterativa

Deixe um comentário