Menu...

Última Notícia

15 de dezembro de 2017

Presidente Temer é gravado dando aval para compra do silêncio de Cunha; ele nega em nota


Hospital de Olhos

PRESIDENTE TEMER É GRAVADO DANDO AVAL – Joesley Batista, um dos donos do grupo J&F, que é proprietário da marca JBS, fez uma gravação com a participação do presidente Michel Temer falando sobre a compra do silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha. A informação é do ‘O Globo’.

Na delação o presidente teria decidido colocar para tratar de assuntos de interesse da J&F(holding que controla a JBS) o deputado federal Rodrigo Rocha Loures, do PMDB-PR, que logo foi gravado em março deste ano recebendo uma mala contendo R$ 500 mil, enviados por Joesley Batista, membro do Grupo JBS. Na gravação, diante da informação de que Batista estaria dando uma mesada a Cunha e ao operador Lúcio Funaro na prisão, Temer afirmou: “Tem que manter isso, viu?”

O presidente Michel Temer, em reunião após o estouro do episódio, afirmou que não cogita renunciar a presidência. Quanto ao processo de impeachment ele afirma que se trata de um jogo político. As afirmações de Temer foram feitas no palácio do planalto após a divulgação da gravação com a suposta participação do presidente.

O Planalto nega veementemente as acusações contra o presidente Temer e afirma que ele “jamais solicitou pagamentos para obter o silêncio” de Eduardo Cunha. Ele reforça ainda dizendo que “não participou e nem autorizou qualquer movimento com o objetivo de evitar delação ou colaboração com a Justiça.

VEJA A NOTA DO PALÁCIO DO PLANALTO

“O presidente Michel Temer jamais solicitou pagamentos para obter o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha. Não participou e nem autorizou qualquer movimento com o objetivo de evitar delação ou colaboração com a Justiça pelo ex-parlamentar.

O encontro com o empresário Joesley Batista ocorreu no começo de março, no Palácio do Jaburu, mas não houve no diálogo nada que comprometesse a conduta do presidente da República.

O presidente defende ampla e profunda investigação para apurar todas as denúncias veiculadas pela imprensa, com a responsabilização dos eventuais envolvidos em quaisquer ilícitos que venham a ser comprovados.”

Centenas de manifestantes tomam conta da Avenida Paulista pedindo a saída de Michel Temer. A manifestação teve início logo após a informação da gravação de Joesley Batista.

De acordo com a Folha de São Paulo, Joesley e o irmão Wesley se dirigiram ao gabinete do ministro do Supremo Edson Fachin com o objetivo de selar seus acordos de delação premiada.

Ainda segundo com a Folha, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) apareceu nas gravações pedindo R$ 2 milhões a Joesley. A quantia foi entregue a um primo do tucano. A ação foi filmada pela Polícia Federal.

O presidente deixou o Planalto por volta das 22h10. Logo após a divulgação da nota. O secretário de Comunicação Social, Márcio Freitas afirmou aos jornalistas que “tudo o que tem que ser dito sobre esse assunto foi dito na nota”.

Joesley, diz a reportagem, pagou para Cunha R$ 5 milhões para o ex-presidente da Câmara após a prisão dele, em outubro do ano passado”. Seria a primeira ocasião de uma ação da PF em busca de provas em flagrante dentro da Lava Jato.


Tags:

Comente aqui

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE