AMARANTE

GERAL

Coceira insuportável: conheça as causas e saiba como tratar

Publicado em

GERAL

Cabeça e couro cabeludo

Conhecida como caspa, a dermatite seborreica é a causa mais comum para o incômodo na região. Ela se manifesta onde há maior produção de óleo pelas glândulas. Resultado: couro cabeludo, sobrancelhas, cantinhos do nariz e até as orelhas coçam. “Alterações hormonais, presença de fungo, estresse, clima seco, frio e mudanças de temperatura agravam o quadro”, diz Vivian. Outras possíveis causas para coceira na cabeça são pediculose (piolho), micose e foliculite.

Como tratar
Não existe cura definitiva para a caspa. “Remédios à base de anti-fúngicos, corticoides, ácido salicílico e enxofre controlam os sintomas”, afirma a médica. Já a foliculite, infecção dos folículos capilares por bactérias, pode exigir o uso de antibiótico. Loções e xampus específicos combatem o piolho.

Partes íntimas

A causa mais comum é a candidíase, infecção provocada por fungos que produz corrimento e geralmente está associada à queda da imunidade, ao uso de antibióticos, anticoncepcionais e corticoides, à gravidez e ao diabetes. A coceira pode ainda ser alérgica, pelo uso de produtos de higiene, ou um sintoma de doenças sexualmente transmissíveis, como HPV, gonorreia ou clamídia.

Leia Também:  Morre mais uma vítima de chacina na região metropolitana do Rio

Como tratar
O tratamento da candidíase varia de acordo com a causa e só um médico poderá indicá-lo. A gonorreia e a clamídia são tratadas com antibióticos. Já a infecção pelo vírus HPV exige cauterização se houver lesão no colo do útero.

 Pés

Coceira nos dedos dos pés? Deve ser micose. Bem comum, a popular frieira é transmitida por contato (se compartilhou objetos de manicure, pode estar aí a origem do seu problema). Entre os sintomas, estão manchas avermelhadas e descamação nas bordas (que aumentam de tamanho). Outra causa comum é bicho-geográfico, parasita presente nas fezes de cães e gatos, que penetra na pele e faz um caminho como se fosse um “mapa”.  Como tratar: Para combater a frieira, usa-se antifúngico.

Como tratar
O processo é longo: “Pode levar até seis meses”, avisa Vivian Lopes Bueno, especialista da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Já para curar o bicho-geográfico, usam-se pomadas específicas ou vermífugos. Uma dica preventiva: seque bem os pés e evite usar calçados e meias por mais de um dia.

Olhos

Bem, aqui, há grandes chances de ser conjuntivite, que vem acompanhada de vermelhidão, inchaço e secreção. Ela pode ser viral, bacteriana ou alérgica. Vale dizer que só a causada por bactéria é contagiosa. Dermatite de contato alérgica (por conta do uso de uma maquiagem, por exemplo) e doenças que levam a olhos secos, como a síndrome de Sjogren, a artrite reumatoide e o lúpus são outras causas.

Leia Também:  Operadoras são proibidas de expirar os créditos dos celulares pré-pagos

Como tratar
Em geral, usam-se colírios e antibióticos para o tratamento da conjuntivite, mas só um oftalmologista pode indicá-los, ok? Já para melhorar olho seco são indicados lubrificantes oculares, em colírio ou pomada.

Nos bastidores da coceira é que mora o perigo

Se a coceira não acaba nunca, é melhor buscar ajuda. Isso porque um quadro de coça-coça crônico pode ser sintoma inicial de uma doença mais séria, como hepatites B e C, alguns tipos de câncer, caso do linfoma e do trato digestivo e infecções por HIV. “Às vezes, o diagnóstico dessas doenças é feito por um médico dermatologista, justamente por causa da coceira”, diz Vivian Bueno.
Fonte: M de Mulher

COMENTE ABAIXO:

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

GERAL

Polícia investiga incêndio em estátua de Borba Gato na capital de SP

Publicados

em


Equipes das polícias Civil e Militar de São Paulo investigam quem pode ter sido o autor de vandalismo nas proximidades da estátua do Borba Gato, na zona Sul da capital paulista, na tarde deste sábado (24). Segundo informações da Secretaria de Segurança Pública (SSP) de São Paulo, as duas polícias realizam diligências em buscas de imagens e informações que possam ajudar na identificação e localização dos autores. 

De acordo com as primeiras informações, por volta das 13h30, um grupo desembarcou de um caminhão e espalhou pneus pela via e nos arredores do monumento, ateando fogo na sequência. A SSP informou por meio de nota que policiais militares e bombeiros chegaram rapidamente ao local e controlaram as chamas e liberaram o tráfego. 

Não houve feridos e nem detidos. O caso está sendo registrado no 11º Distrito Policial (Santo Amaro). Esse distrito ficará responsável pelas investigações.

Edição: Bruna Saniele

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Carro é esmagado por ônibus na zona sul de São Paulo
Continue lendo

CIDADES

PIAUÍ

POLÍCIA

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA