Albanês homenageia 'o chefe' Modi e evita questões sobre direitos

Albanês homenageia ‘o chefe’ Modi e evita questões sobre direitos

Internacional

O primeiro-ministro australiano, Antony Albanese, e seu homólogo indiano, Narendra Modi, prometeram levar as relações entre seus países a “alturas maiores”, assinando novos acordos sobre migração e hidrogênio verde, enquanto Canberra busca aumentar os laços comerciais e diplomáticos com Nova Delhi em um esforço para combater a China.

A assinatura dos acordos comerciais na quarta-feira ocorreu horas depois que Albanese ofereceu a Modi as boas-vindas de um astro do rock em uma das maiores arenas esportivas de Sydney, evitando perguntas da mídia sobre o histórico de direitos humanos do líder indiano, incluindo alegações de repressão a dissidentes e à minoria muçulmana do país. comunidade.

Albanese disse a repórteres na Admiralty House de Sydney que estava “absolutamente encantado” em receber Modi na Austrália.

Ele observou que os dois líderes se encontraram seis vezes desde sua eleição como primeiro-ministro da Austrália no ano passado.

A Austrália e a Índia são membros do grupo Quad de nações, que também inclui o Japão e os Estados Unidos.

Modi é o único líder das nações Quad a continuar com sua visita agendada à Austrália depois que o presidente dos EUA, Joe Biden, desistiu de uma reunião planejada do grupo em Sydney para retornar a Washington para se concentrar nas negociações sobre o limite da dívida. O primeiro-ministro japonês Fumio Kishida, que organizou uma cúpula do Grupo dos Sete na semana passada, também cancelou sua viagem à Austrália.

“Líderes quádruplos estão juntos por uma região Indo-Pacífico aberta, estável, segura e próspera… onde todos os países grandes e pequenos se beneficiam de um equilíbrio regional que mantém a paz”, disse Albanese a repórteres após conversas bilaterais com Modi.

Durante a cúpula, os dois líderes discutiram comércio, defesa e energia renovável e assinaram um acordo para estabelecer uma força-tarefa de hidrogênio e expandir a cooperação em energia limpa. Eles também assinaram um acordo sobre migração que permitirá o intercâmbio de estudantes, pesquisadores e empresários, ao mesmo tempo em que intensifica os esforços para prevenir o tráfico humano, segundo Albanese.

De sua parte, Modi – um líder nacionalista que enfrentará a reeleição no ano que vem – elogiou “discussões construtivas” com Albanese e disse que a dupla “falou sobre levar a Parceria Estratégica Abrangente Austrália-Índia a patamares maiores na próxima década”.

Eles também discutiram o aumento da cooperação em mineração e minerais críticos, disse Modi, e estão buscando concluir as negociações sobre um acordo de livre comércio antes do final do ano. O Acordo Integral de Cooperação Econômica aumentaria o escopo de um pacto comercial bilateral que entrou em vigor em dezembro do ano passado.

A Austrália, cujo maior parceiro comercial é a China, está buscando diversificar seus mercados de exportação, inclusive estreitando laços comerciais com a Índia. A Índia é o sexto maior parceiro comercial da Austrália, com a troca bilateral de bens e serviços avaliada em 46,5 bilhões de dólares australianos (US$ 31 bilhões) no ano passado.

Albanese e Modi, que é conhecido por nunca dar uma entrevista coletiva, não responderam a nenhuma pergunta.

protestos

À medida que as negociações avançavam, vários manifestantes se reuniram em frente à Casa do Almirantado, carregando cartazes denunciando “crimes de Modi contra inocentes” e supostos “insultos e violência”, segundo imagens transmitidas pela Sky News Australia.

Os cerca de uma dúzia de manifestantes foram superados em número pelo pessoal de segurança no local.

Antes de sua reunião com Modi, perguntaram a Albanese se ele enfrentaria o líder indiano por acusações de abuso de direitos. Mas ele evitou a pergunta.

“A Índia é a maior democracia do mundo. Aqui na Austrália, é claro que as pessoas têm o direito de expressar suas opiniões de maneira pacífica e todos temos opiniões diferentes sobre as pessoas na política”, disse ele à emissora Channel 7.

“Não cabe a mim comentar algumas das políticas internas” da Índia, ele insistiu.

Modi, no entanto, parecia não ter tais escrúpulos.

O líder indiano criticou na quarta-feira os recentes “ataques” a templos hindus na Austrália – vandalismo supostamente cometido por separatistas sikhs – e acrescentou que Albanese lhe garantiu “ações estritas contra tais elementos no futuro”.

O primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, e o primeiro-ministro da Austrália, Anthony Albanese, em um comício em Sydney
Modi da Índia e Albanese da Austrália agradecem aos membros da comunidade australiano-indiana após um evento comunitário na Qudos Bank Arena em Sydney, 23 de maio de 2023 [Dean Lewins/AAP Image via Reuters]

Na noite anterior, Albanese organizou uma manifestação em massa para Modi na Qudos Bank Arena no Parque Olímpico de Sydney.

Aos cantos de “Modi! Modi! Modi!” Albanese apresentou seu “querido amigo” a uma multidão de indo-australianos e o elogiou por tornar a Austrália “mais forte e inclusiva”.

“A última vez que vi alguém no palco aqui foi Bruce Springsteen e ele não teve as boas-vindas do primeiro-ministro Modi”, disse Albanese, referindo-se ao popular astro do rock americano.

“O primeiro-ministro Modi é o chefe!” ele adicionou.

Cerca de 20.000 pessoas compareceram ao comício, de acordo com a mídia australiana.

Indianos-australianos constituem a segunda maior diáspora do país, com 673.000 cidadãos nascidos na Índia em uma população de 26 milhões. Quase 90.000 estudantes indianos estão matriculados em universidades australianas, o maior contingente no exterior depois da China.

O abraço caloroso de Albanese a Modi atraiu a condenação de outros, no entanto.

“Estamos profundamente preocupados com sua visita e a maneira como ele foi recebido sem que nenhuma das questões preocupantes em seu próprio país tenha sido levantada”, disse Bilal Rauf, porta-voz do Conselho Nacional de Imãs da Austrália, à agência de notícias AFP.

A Human Rights Watch, por sua vez, disse: “O governo australiano não deve repetir os mesmos erros que cometeu com o governo chinês ao buscar um envolvimento comercial mais profundo enquanto deixa de lado as preocupações com os direitos humanos”.

O grupo de direitos humanos disse que sob Modi, “a maior democracia do mundo” se tornou muito menos livre e mais perigosa, com dezenas de jornalistas, ativistas e líderes da oposição presos e a violência “efetivamente normalizada” contra as comunidades minoritárias muçulmanas e cristãs.

“O uso da ‘diplomacia silenciosa’ não teve nenhum impacto evidente na situação dos direitos humanos”, disse Elaine Pearson, diretora da HRW para a Ásia. Isso “levou a um sentimento crescente de que a Austrália está disposta a ignorar a situação das comunidades afetadas na Índia para conquistar a Índia como aliada contra a China e a Rússia”.


Com informações do site Al Jazeera

Compartilhe este post
Sabores da TerraCasa da Roca e PetCitopatologista Dra JosileneAri ClinicaAfonsinho AmaranteMegalink AmaranteFinsolComercial Sousa Netoclinica e laboratorio sao goncaloCetec AmaranteEducandario Menino JesusMercadinho AfonsinhoAlternância de BannersFaculdade EstacioPax Uni~ão AmarantePax Uni~ão AmaranteDr. JosiasPier RestobarPax Uni~ão AmaranteHospital de OlhosIdeal Web, em AmaranteSuper CarnesInterativa