AMARANTE

ESPORTES

Uefa elimina regra de gols fora de casa em torneios de clubes europeus

Publicado em

ESPORTES


A Uefa informou nesta quinta-feira (24) que aprovou uma proposta para acabar com a regra de gols fora de casa em todas as competições de clubes europeias, começando com a fase eliminatória da campanha 2021-22.

A regra de gols fora de casa, adotada pela entidade reguladora do futebol europeu em 1965-66, é aplicada quando o placar agregado de uma decisão em partidas de ida e volta fica empatado após 180 minutos: o time com mais gols no campo rival é declarado vencedor.

Mas a regra virou alvo de questionamento no ano passado, quando algumas partidas foram realizadas em locais neutros e sem torcedores devido à pandemia de covid-19.

Agora, uma prorrogação com dois tempos de 15 minutos será disputada ao final da partida de volta, seguida por uma disputa de pênaltis se os clubes continuarem empatados.

Ao explicar a decisão, o presidente da Uefa, Aleksander Ceferin, disse: “O impacto da regra agora vai de encontro ao seu propósito original, já que, de fato, desestimula os times da casa – especialmente nas partidas de ida – a atacarem, porque temem sofrer um gol que daria aos seus oponentes uma vantagem crucial”.

Leia Também:  Coritiba bate Guarani e assume vice-liderança da Série B

“Também se critica a injustiça, especialmente na prorrogação, de obrigar o time da casa a fazer dois gols quando o time visitante faz gol”.

A Uefa disse que, como os gols fora de casa não terão mais peso adicional para se decidir um empate, também serão retirados dos critérios usados para se determinar os rankings quando dois ou mais times estiverem igualados em pontos na fase de grupos.

(Por Shrivathsa Sridhar, em Bengaluru)

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ESPORTES

Tóquio: Simone Biles fatura bronze na trave no retorno à competição

Publicados

em


A ginasta norte-americana Simone Biles fez um retorno destemido à competição nesta terça-feira (3), fechando a tumultuada Olimpíada de Tóquio com a medalha de bronze na trave de equilíbrio.

O ouro no último aparelho do programa de ginástica artística feminina foi para a chinesa Guan Chenchen com uma pontuação de 14,633 e a prata para sua compatriota Tang Xijing, mas foi Biles quem chamou a atenção por seu corajoso retorno.

“Fiquei orgulhosa de mim mesma por ter ido lá depois do que passei”, disse Biles, que chegou a Tóquio com quatro ouros e um bronze no Rio há cinco anos.”Este é definitivamente mais doce. Vou valorizar muito mais este depois de tudo que passei.”

A brasileira Flávia Saraiva teve uma falha logo no começo da apresentação e terminou em sétimo lugar com a nota 13,133.

Leia Também:  Com golaço relâmpago, Santos atropela Napoli no Brasileiro Feminino

Biles, três vezes campeã mundial na trave, terminou com o bronze, mas o resultado foi considerado uma vitória depois dos dramáticos Jogos de Tóquio, nos quais ela abandonou abruptamente a competição por equipes na última terça-feira (27 de julho), após realizar apenas um salto, alegando problemas de saúde mental.

A ginasta de 24 anos foi para Tóquio em busca de um recorde de seis medalhas de ouro, o que a tornaria a atleta olímpica mais bem-sucedida de todos os tempos em qualquer esporte, mas em vez disso sofreu uma crise de confiança que a levou a desistir da maioria das finais – individual geral, salto, barras assimétricas e solo.

Biles, que ganhou quatro medalhas de ouro na Olimpíada Rio 2016, explicou mais tarde que estava lidando com twisties –um tipo de bloqueio mental em que as ginastas ficam desorientadas durante suas sequências que desafiam a gravidade.

Se havia qualquer apreensão ou pressão, isso não apareceu quando uma Biles relaxada mandou beijos para as câmeras de televisão enquanto entrava na arena para mais uma chance de medalha.

Leia Também:  Villarreal e Manchester United farão final da Liga Europa

Seu desempenho na trave claramente não foi o esperado para uma ginasta considerada a maior de todos os tempos, mas foi destemido na execução.

Quando o placar final apareceu, Biles comemorou abraçando sua companheira de equipe Sunisa Lee, que conquistou o ouro no individual geral, à frente da brasileira Rebeca Andrade, que levou a prata.

O bronze na trave foi a segunda medalha que Biles conquistou nos Jogos de Tóquio, juntamente com a prata que levou no evento por equipes. As duas medalhas elevam seu total olímpico para sete.

* Reportagem adicional de Chang-Ran Kim

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

PIAUÍ

POLÍCIA

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA