AMARANTE

GERAL

TV Brasil aumenta em quase 300% presença do jornalismo na programação

Avatar

Publicado em

GERAL


Desde novembro, a TV Brasil vem trabalhando para ampliar o leque de produtos jornalísticos disponíveis ao cidadão brasileiro que procura informação pública com equilíbrio, pluralidade, sem viés partidário, comercial ou ideológico. Graças a esses esforços, a grade de programação da TV teve um aumento de 288% no conteúdo jornalístico nesse período. No que se refere a tempo de exibição, as produções jornalísticas da casa passaram de 43 horas mensais para 65 horas por mês desde abril.

De acordo com o gerente executivo de Telejornalismo da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Oussama El Ghaouri, o aumento no conteúdo jornalístico se deve a uma reformulação na programação da TV, com o surgimento de telejornais locais e maior duração nos produtos já existentes.

Novos telejornais

TV Brasil ganhou seis novos jornais desde novembro: no fim do ano, estreou o vespertino Repórter Brasil Tarde, comandado do Rio de Janeiro pelo jornalista Luiz Carlos Braga. “Acho importante esse canal com as informações públicas, que mostram um Brasil muitas vezes esquecido por outros meios de comunicação”, diz Braga. Em abril, o Brasil em Dia, que traz as notícias do governo federal, ganhou um reforço nas manhãs: O Repórter Nacional na TV. Comandado pelos jornalistas Monike Castilho e Miguelzinho Martins, ele traz as informações públicas do início do dia. “A credibilidade da Rádio Nacional, uma das mais tradicionais do país, agora também está na tela da TV Brasil”, afirma a gerente de Jornalismo da emissora, Gabriela Mendes.

Leia Também:  Embrapii seleciona institutos brasileiros para investir R$ 120 milhões

Além dos novos jornais nacionais, a TV Brasil passou a ter três produções locais: o Repórter DF, Repórter Rio e Repórter SP. Cada um deles com o objetivo de trazer as principais notícias desses três centros durante 15 minutos. “As coisas acontecem é na cidade. Você ter um jornal local aproxima o cidadão da empresa jornalística porque ele vai ver o fato que aconteceu na cidade dele aparecendo na TV”, diz o gerente de Telejornalismo. “Em nível nacional, essa notícia às vezes se perde. Aí [no local] é que você se aproxima e cria vínculo com o cidadão”, completa.

Além desses, surgiu também o Resumo Brasil. Comandado por Priscila Mendes, ele vai ao ar todos os sábados e traz, como o próprio nome diz, um resumo com as principais notícias da semana.

Tempo maior para o jornalismo

Além dos novos produtos, em abril a TV Brasil ampliou o tempo dos telejornais nacionais da casa: O Repórter Brasil Tarde e o Repórter Brasil Noite. Eles passaram de 30 para 40 minutos. “Com a pandemia de covid-19, sentimos a necessidade de ter mais tempo para explicar esse assunto à população e aí, consequentemente, precisamos de mais tempo para tratar de outros assuntos que não podiam ser deixados de lado.”, explica El Ghaouri.

Leia Também:  Governo da Bahia reconhece erro ao divulgar 216 novos casos de coronavírus

O diferencial da comunicação pública

A missão da TV Brasil é criar e difundir conteúdos que contribuam para o desenvolvimento da consciência crítica das pessoas. As informações são levadas ao público de forma clara e objetiva. “Não trabalhamos com sensacionalismo, com exploração da vida alheia e trabalhamos exclusivamente com informações oficiais, as pessoas têm certeza de que aqui não tem fake news.” diz Oussama El Ghaouri. “Isso é o que nos dá credibilidade.”, completa.

Edição: Graça Adjuto

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

GERAL

Brasil inaugura primeira antena rural para a internet 5G

Avatar

Publicados

em


O Brasil já tem instalada a sua primeira antena rural destinada à quinta geração de internet (5G). A tecnologia funcionará, ainda em caráter experimental, na fazenda- modelo do Instituto Matogrossense de Algodão (IMAmt), em Rondonópolis (MT). A expectativa é que, no futuro, quando esse tipo de conexão for disponibilizado em larga escala,  ajude o produtor brasileiro a reduzir custos e ganhar produtividade, com o auxílio de drones, chips e GPS [sistema de posicionamento global].

Ao conectar objetos do cotidiano – como eletrodomésticos, smartphones, roupas e automóveis – à internet (e entre si), essa tecnologia permitirá até mesmo a realização de procedimentos médicos delicados a distância, além de sistemas de direção automática de carros e as mais diversas tecnologias de automação e inteligência artificial, inclusive para a agricultura, a indústria e as cidades.

No caso da agricultura, ela possibilitará, entre outras coisas, a transmissão em tempo real de imagens em alta definição de plantações para acompanhamento a distância de uma equipe técnica. Máquinas como tratores poderão funcionar de forma mais autônoma. Além disso, informações precisas sobre o comportamento e a saúde de animais poderão ser obtidas de forma bem mais detalhada, bem como sobre as condições climáticas.

Leia Também:  Fio energizado atravessado em estrada vicinal mata pai e filha de 1 ano em moto nesta segunda

Redução de custos e de perdas

De acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a digitalização do agronegócio reforçará o papel do Brasil como “protagonista no cenário mundial de produção de alimentos a partir da redução de custos e diminuição de perdas na produção”, levando, inclusive, cidadania, conhecimento e oportunidades aos produtores rurais de áreas remotas.

Em nota, o Ministério da Agricultura explicou que o monitoramento remoto, a partir de sensores, permite a medição da temperatura e a avaliação das condições hídricas imediatas na plantação. “Em simulação, foi possível acionar a irrigação em determinada área mesmo a quilômetros de distância”, acrescentou.

Durante a inauguração da antena, a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, disse que o leilão das frequências de operação da nova geração de internet móvel trará “melhoria no social, ambiental e na produtividade do agro brasileiro”.

Também presente na inauguração, o ministro das Comunicações, Fábio Faria, disse que, assim como a quarta geração de internet (4G) revolucionou a vida das pessoas, o 5G vai revolucionar as indústrias. “Para o agronegócio, será um avanço gigantesco. O 5G vai fazer o nosso agro crescer 20% em média”, finalizou.

Leia Também:  Embrapii seleciona institutos brasileiros para investir R$ 120 milhões

Edição: Kleber Sampaio

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

PIAUÍ

POLÍCIA

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA