AMARANTE

ESPORTES

Roland Garros: Osaka é multada após vitória e advertida sobre expulsão

Publicado em

ESPORTES


A tenista japonesa Naomi Osaka foi multada neste domingo (30) em US$ 15 mil (aproximadamente R$ 78,5 mil) pelos organizadores de torneios de tênis Grand Slam e alertada sobre a possível expulsão do Aberto da França e suspensão de futuros campeonatos após a número dois do mundo não participar de uma entrevista coletiva depois de vitória na primeira rodada de Roland Garros.

A jovem de 23 anos, quatro vezes vencedora de Grand Slam, citou o impacto sobre o bem-estar mental dos jogadores por sua decisão de não dar coletivas de imprensa, dizendo que a natureza das perguntas dos jornalistas é como “chutar uma pessoa quando está para baixo”.

Osaka começou sua campanha no Aberto da França com uma vitória sobre a romena Patricia Maria Tig por 6-4 7-6 (4) e então boicotou a entrevista coletiva pós-jogo, embora ela tenha dado uma entrevista na quadra imediatamente após a partida.

O conselho dos quatro Grand Slams disse em um comunicado neste domingo que os organizadores do Aberto da França pediram a Osaka para reconsiderar sua posição e tentou, sem sucesso, falar com ela para resolver o assunto.

“O Aberto da Austrália, Roland-Garros, Wimbledon e o Aberto dos Estados Unidos escreveram em conjunto para ela para verificar seu bem-estar e oferecer apoio, sublinhar seu compromisso com o bem-estar de todos os atletas e sugerir diálogo”, diz o comunicado. “Ela também foi lembrada de suas obrigações, das consequências de não cumpri-las e que as regras devem ser aplicadas igualmente a todos os jogadores.””Naomi Osaka optou hoje por não honrar suas obrigações contratuais com a mídia. O árbitro de Roland-Garros, portanto, emitiu uma multa de 15.000 dólares para ela.”

A equipe responsável por Osaka não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

Leia Também:  Fluminense x Bragantino jogam pela Copa do Brasil nesta quarta

A japonesa, que mora na Flórida, nunca passou da terceira rodada em Roland Garros e chegou a Paris com apenas três disputas no saibro, após derrotas iniciais em Madri e Roma.

Osaka, que de acordo com o site de negócios esportivos Sportico ganhou US$ 55,2 milhões (R$ 288,7 milhões) nos últimos 12 meses, já usou sua plataforma e considerável atenção da mídia para destacar questões de violência policial e desigualdade racial.

Ao anunciar sua decisão no Twitter de boicotar coletivas de imprensa, ela disse que esperava que a “quantia considerável” que calculava perder como multas fosse destinada a uma instituição de caridade de saúde mental.

Rafa Nadal, 20 vezes vencedor do Grand Slam, e a número um do mundo feminino, Ash Barty, disseram acreditar que os jogadores têm o dever de falar com a mídia.

O sete vezes campeão de singles do Grand Slam, Mats Wilander, disse neste domingo (30) que Osaka não deve jogar torneios de tênis até que esteja pronta para participar das coletivas de imprensa pós-jogo.

“Avisamos Naomi Osaka que se ela continuar a ignorar suas obrigações com a mídia durante o torneio, ela estará se expondo a possíveis consequências de violação do Código de Conduta”, disse o conselho. “Como era de se esperar, as violações repetidas atraem sanções mais duras, incluindo o default do torneio … e o início de uma grande investigação de ofensa que pode levar a multas mais substanciais e futuras suspensões do Grand Slam.”

Osaka não deu sinais de estar distraída com o assunto durante sua partida de abertura em uma quadra ensolarada de Philippe Chatrier, no entanto.

Leia Também:  Pia aponta melhorias necessárias à seleção após torneio nos EUA

Questionada em sua entrevista na quadra sobre como ela adapta seu jogo à superfície, Osaka disse: “é um trabalho em progresso. Espero que quanto mais eu jogo, melhor eu jogo”.

“Estou muito feliz por ter vencido. É uma quadra linda. Só joguei duas partidas aqui (no Philippe Chatrier), uma antes do telhado e outra agora, então espero continuar assim.”

Osaka, de 23 anos, que perdeu o torneio do ano passado devido a um problema no tendão da coxa, não estava interessada em se engajar em ralis longos e pareceu muito poderosa contra Tig, 63º colocada.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ESPORTES

Em jogo frio, Caxias e Joinville não saem do zero pela Série D

Publicados

em


A onda de baixas temperaturas que atingiu o Sul do Brasil nos últimos dias parece ter afetado Caxias-RS e Joinville-SC. A partida deste domingo (1º), entre gaúchos e catarinenses, pela nona rodada da Série D do Campeonato Brasileiro, teve poucas emoções e o placar no estádio Centenário, em Caxias do Sul (RS), não saiu do zero. O duelo foi transmitido ao vivo pela TV Brasil.

O empate não muda a situação das equipes no Grupo 8. O JEC, ainda invicto, ocupa o segundo lugar da chave, com 17 pontos, quatro a mais que os gaúchos, que aparecem na terceira posição. Se a primeira fase terminasse agora, ambos estariam classificados ao mata-mata.

O primeiro tempo teve o Caxias com mais presença ofensiva, apesar de pouca efetividade. Foi dos anfitriões a chance de gol mais clara da partida. Aos 42 minutos, o meia Jean Dias cobrou falta fechada, pela esquerda, e o lateral Bruno Ré, livre na pequena área e quase “grudado” na trave, cabeceou para fora.

As equipes foram para o intervalo na bronca com a arbitragem. Aos 12 minutos, o lateral Lucas Carvalho levantou na área pela direita e o goleiro Rafael Pascoal segurou a bola com os pés dentro do gol e as mãos esticadas tentando evitar que a redonda cruzasse a linha. Os jogadores do time gaúcho reclamaram. Aos 35, o atacante Chrystian foi derrubado na linha da área pelo meia Paulinho Santos, mas a arbitragem nada marcou, para revolta do elenco do Joinville.

Leia Também:  Times masculino e feminino do Santos vivem surto de covid-19

Os catarinenses voltaram mais agressivos para o segundo tempo. Aos 11 minutos, Chrystian fez o giro na área e acertou a trave. A partida, no entanto, caiu sensivelmente de ritmo, com as equipes apresentando dificuldades para criar lances de perigo. Os goleiros pouco trabalharam nos 45 minutos finais.

No próximo sábado (7), o JEC recebe o Rio Branco-PR na Arena Joinville, às 15h (horário de Brasília). No mesmo horário, no domingo (8), o Caxias visita o Aimoré-RS no Monumental Cristo-Rei, em São Leopoldo (RS). Os duelos valem pela décima rodada da Série D.

Edição: Marcio Parente

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

PIAUÍ

POLÍCIA

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA