Menu...

12 de dezembro de 2017

G1 – Dilma visita ferrovia e diz que portos secos vão ‘desburocratizar’ o Brasil


Hospital de Olhos

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta terça-feira 12, ao visitar trecho das obras da Ferrovia Norte-Sul, em Anápolis GO, que os portos secos construídos no país servirão para “desburocratizar” o Brasil na exportação de mercadorias.

O Trecho Sul I da ferrovia, visitado nesta terça pela presidente Dilma, foi inaugurado em 22 de maio, tem 855 quilômetros de extensão e liga Palmas TO a Anápolis GO, mas ainda não está em operação. De acordo com o Ministério do Planejamento, foram investidos R$ 4,28 bilhões nas obras do trecho por meio do Programa de Aceleração do Crescimento PAC.

“O objetivo dos portos secos é desburocratizar o Brasil e vão desburocratizar, porque, por exemplo, tendo aqui a Receita Federal, a carga alfandegária estará aqui. Isso [o porto seco de Anápolis] é essencial e hoje tem uma imensa importância, ainda mais quando estiver operando plenamente”, disse a presidente.

Durante a visita, Dilma percorreu por uma hora e meia trecho de quatro quilômetros em uma locomotiva e aproveitou para gravar vídeos e tirar fotos que serão utilizados na campanha eleitoral. Os custos da viagem, na chamada “agenda casada”, em que Dilma tem compromissos oficiais e de campanha, foram pagos pelo PT, segundo informou o comitê de imprensa.

Após a inspeção no trecho da ferrovia, Dilma falou com jornalistas durante 25 minutos sobre as obras. Depois, ela disse que iria responder duas perguntas. A primeira pergunta foi sobre o edital de licitação para ferrovias. Quando ia responder a segunda pergunta, sobre a situação financeira da Celg [Companhia Energética de Goiás] a voz da presidente começou a falhar. Dilma tentou continuar, mas, como o incômodo na garganta persistiu, ela encerrou a entrevista.

A assessoria de imprensa da Presidência disse que Dilma não está doente e que o cansaço na voz tem a ver com o ritmo intenso da campanha e das atividades oficiais da presidente.

A jornalistas, Dilma defendeu o porto seco de Anápolis como uma das obras de logística mais importantes do Brasil, pois servirá como modelo de integração entre caminhões e trens no escoamento da produção local de minérios e grãos. Além disso, será usado como base para que mercadorias produzidas na região sejam exportadas quando a Norte-Sul estiver em pleno funcionamento – a ferrovia ligará o interior do Brasil aos portos de Santos SP e Itaqui MA.

“Aqui estamos num dos pontos de integração entre os modais e que servirá como espécie de centro logístico”, acrescentou.

Norte-SulA ferrovia foi planejada ainda no governo do ex-presidente José Sarney. A construção do trajeto inicial, entre o Maranhão e Goiás, durou 27 anos. O projeto da ferrovia prevê, ao todo, 4.576 quilômetros de trilhos, cortando nove estados, do Maranhão a São Paulo.

O Trecho Sul II da ferrovia, entre Ouro Verde GO e Estrela d’Oeste SP, ainda em construção, tem 681 quilômetros de extensão e a previsão é que sejam investidos R$ 2,7 bilhões também por meio do PAC – o trecho, segundo o governo, está 62% concluído.

via:  G1 – notícias em Política.

Tags: , ,

Comente aqui

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE