3:11 pm - segunda-feira novembro 24, 1952

Dilma diz que apoiará Lula se ex-presidente disputar eleições em 2018

Edição e postagem: Leomar Duarte, em 14-10-2014 14:34 | Última modificação: 14-10-2014 14:34
Hospital de Olhos

A presidente Dilma Rousseff (PT), que concorre à reeleição no próximo dia 26, afirmou nesta segunda-feira que apoiará seu antecessor e padrinho político, Luiz Inácio Lula da Silva, caso ele decida concorrer à presidência em 2018.

Dilma disse não saber se Lula cogita disputar as próximas eleições presidenciais, mas admitiu que essa possibilidade foi aventada pelo presidente do PT, Ruy Falcão. ‘O presidente Lula não me disse nada disso, mas, no que depender de mim, ajudo’.

Falcão, coordenador geral da campanha de Dilma, disse em reunião do partido este mês que os militantes do PT ficariam ‘muito felizes’ caso que Lula aceite ser candidato à presidência em 2018.

O ex-chefe de Estado, que participa da campanha eleitoral de Dilma este ano, mas sem a intensidade de quatro anos atrás, insinuou mês passado que seu nome não pode ser descartado para as próximas presidenciais. ‘Eles (a oposição) tem que se preparar porque estarei vivo (em 2018)’, disse Lula em um comício em Salvador.

Na entrevista coletiva a presidente criticou Marina Silva (PSB), terceira colocada no primeiro turno, por comparar seu rival Aécio Neves (PSDB) a Lula.

Ontem Marina declarou formalmente seu apoio a Aécio Neves segundo turno, comparou o documento em que o senador tucano se compromete a manter as conquistas sociais do Brasil com a ‘carta ao povo brasileiro’, documento divulgado por Lula em 2002 antes das eleições em que se comprometia a manter a política econômica de seu antecessor, Fernando Henrique Cardoso.

‘Considero essa comparação infeliz. É desproporcional comparar um líder político do tamanho de Lula com meu adversário, tanto pela trajetória política e suas convicções, como pelo que Lula fez como presidente deste país e o que o candidato fez como governador de Minas Gerais’, afirmou a presidente.

A ‘Carta ao povo brasileiro’ foi uma medida para acalmar o mercado financeiro, que vivia uma grande turbulência diante da possibilidade de Lula ameaçar a estabilidade econômica.

Aécio, recentemente, se comprometeu a manter as conquistas sociais em um documento que visava garantir o apoio formal de Marina, que teve 21,32% dos votos no primeiro turno.

Dilma teve, em 5 de outubro, 41,59% dos votos, e Aécio 33,55%. As primeiras pesquisas de intenção de voto para o segundo turno mostram os dois candidatos tecnicamente empatados, com o tucano dois pontos à frente da presidente.

Fonte:MSN

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE