Menu...

26 de Maio de 2018

Associação confirma 18 mortos no massacre de Fortaleza na madrugada


Hospital de Olhos

MASSACRE EM FORTALEZA – Os números no triste episódio de violência que ocasionou o massacre no bairro Cajazeiras, em Fortaleza-CE na madrugada deste sábado (27) são assustadores. A Secretaria de Segurança Pública do Ceará (SSP-CE) divulgou 14 mortos, mas a Associação dos Profissionais de Segurança do Ceará (APS) noticiou que foram 18 mortos durante a madrugada, o que a entidade chama de “fato emblemático”.

A APS aponta o governo do estado como o responsável pela “ineficiência” na estratégia da Secretaria de Segurança. “Mais uma vez confirmamos que a estratégia da Segurança do Governo do Estado do Ceará é ineficaz, ineficiente e só possui publicidade”, disse a associação em seu site.

O massacre é resultado de uma disputa entre facções criminosas, que transformou o momento de pânico e medo na madrugada mais violenta da história do estado do Ceará. O que estaria por trás do episódio é a disputa por territórios de tráfico de drogas na capital cearense entre PCC (Primeiro Comando da Capital), o CV (Comando Vermelho) e o GDE (Guardiões do Estado).

A chacina aconteceu quando aproximadamente 15 homens chegaram no ‘Forró do Gago’(Casa de shows conhecida por ser uma boate frequentada por um grupo rival) fortemente armados em três carros. Os bandidos deram início ao tiroteio deixando vítimas e corpos espalhados pelo chão do estabelecimento, sendo a maioria mulheres. A facção Guardiões do Estado assumiu pela internet a autoria do ataque.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Ceará, duas pessoas eram menores de idade. Não há ainda a identificação das vítimas, segundo a Secretaria.

A investigação do caso está sendo feita pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa. Uma pessoa foi presa por suspeitas de participação no ataque. Um fuzil foi apreendido.

Secretário fala sobre o massacre em Fortaleza

O secretário de Segurança, André Costa, disse que o caso foi um evento isolado. Ele fez ainda comparação aos ataques que ocorrem nos Estados Unidos. “No mundo todo, tem situações em que se matam 50 pessoas, 60 pessoas em boates. É uma situação criminosa que foi organizada, que foi planejada e que veio a ser executada”, disse em coletiva de imprensa.

Informação da APS apontam que a principal causa de homicídios está relacionada à disputa entre facções. “Lamentavelmente, o Ceará vive uma guerra entre as três principais facções criminosas e o número de homicídios só vem aumentando em razão dessa disputa por pontos de tráfico”, afirmou.

Tags:

Comente aqui

id, efficitur. consequat. dictum diam Donec neque. ante. libero tempus