Menu...

19 de Janeiro de 2018

Em reunião com presidente da Transnordestina, Wellington Dias pede agilidade nas obras


Hospital de Olhos

O governador Wellington Dias se reuniu com o presidente da Transnordestina, Sérgio Leite, nesta segunda-feira (10) para agilizar a retomada das obras no estado.

O projeto que prevê 2.304 quilômetros de ferrovia irá beneficiar 81 municípios, sendo 19 no Piauí, 28 no Ceará e 34 em Pernambuco. Ao todo, são 424 quilômetros de ferrovia somente no Piauí.

A Justiça Federal do Piauí, com base na violação aos direitos da comunidade Quilombola de Contente, em Paulistana, determinou a suspensão da obra da Ferrovia Transnordestina entre Trindade (PE) e Eliseu Martins (PI).

Somente este ano, R$ 560 milhões vão possibilitar avanços na obra que deverá ser concluída em 2019.

“A Ferrovia Transnordestina é a mais importante obra de infraestrutura do Piauí desde que foi projetada e iniciada há 10 anos. Hoje a demanda, o volume de cargas, é ainda maior, principalmente com a descoberta de novas reservas de ferro na região de São Lourenço do Piauí e novos investimentos na produção agrícola, madeira e também da importação de insumos”, afirmou Wellington Dias.

No início deste ano, o Tribunal de Contas da União (TCU) suspendeu o repasse dos recursos que seriam destinados às obras. O presidente Sérgio Leite disse que o trabalho será direcionado para a liberação da 2ª parcela do Fundo de Investimento do Nordeste (FINOR), aproximadamente R$ 153 milhões autorizados pelo Ministério da Integração Nacional em novembro de 2016.

O governador disse que existe uma preocupação da Direção da Transnordestina que também é do governo do Piauí, que diz respeito aos danos provocados pelas chuvas e pela longa paralisação.

O presidente acredita que devem ser feitos ajustes para o cumprimento de novas regras da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e também um estudo atualizado sobre a viabilidade econômica e demonstração de carga prevista para o trecho.

“Quanto mais cedo retornarmos as obras, melhor, mas temos que seguir a decisão do TCU”, afirmou Sérgio Leite.

“A Secretaria de Planejamento do Piauí (Seplan) e Fundação CEPRO devem subsidiar sobre as perspectivas de crescimento econômico do Piauí, a partir do estudo “Piauí 2050.” O documento, demonstra total viabilidade no trecho de Elizeu Martins e Pavussu em direção aos portos de Pecém e Suapi.

Com informações do Cidade Verde

Tags:

Comente aqui

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE