3:11 pm - sábado novembro 24, 6790

Professor é preso acusado de cultivar supermaconha em casa

Edição e postagem: Denison Duarte, em 14-03-2014 23:26 | Última modificação: 14-03-2014 23:42
Hospital de Olhos

A Delegacia de Entorpecentes, após flagrar uma plantação de maconha e encontrar tabletes de LSD em uma casa no bairro Mocambinho, autuou em flagrante Moisés Barros da Silva, 28 anos, que é músico e professor de inglês de uma rede de escolas de idiomas.
Na residência dele foi encontrado um plantio de uma droga conhecida como supermaconha ou skunk, segundo o delegado Willame Moraes, titular da Delegacia de Entorpecentes.
O delegado confirmou que foi encontrada uma estufa, fertilizantes e sistema de irrigação. “Esta droga provoca efeitos psicotrópicos 100% maiores do que a maconha normal. Todo o plantio dela é feito de forma diferenciada. A qualidade dela é bem maior. Para termos um exemplo mais claro, o grama dessa droga custa R$ 50, enquanto a comum custa de R$ 3 a R$ 5”, explica o delegado.
Ainda segundo o titular, há informações de que o entorpecente era vendido na zona leste. Segundo ele, apenas a classe mais alta tem condições financeiras de comprar.
O irmão do acusado também foi detido, porém não teve o nome revelado já que a polícia está investigando se há participação do mesmo no crime de tráfico.
“Fomos informados que Moisés morava na casa há quatro anos. A residência é alugada. Porém, só iniciou a venda da droga há aproximadamente quatro meses. A casa, inclusive, pertenceria a um oficial do Exército. Esta é a primeira vez que apreendemos esse tipo de droga na capital”, afirma.
O acusado será autuado por tráfico de entorpecentes no quesito de plantio. As investigações continuarão para saber se há outras pessoas envolvidas.
Atualizada às 16h15
Os policias finalizaram por volta das 16h10 o trabalho de coleta de dados e a perícia na casa onde foram encontrados ao menos 20 pés de maconha e tabletes de LSD.
Dois homens foram levados para a Delegacia de Entorpecentes. Os acusados estavam com os rostos cobertos com camisa preta.
Delegado Willame Moraes.
O delegado Willame Moraes informou apenas que prestaria esclarecimentos na delegacia.
Atualizada às 16h02
A casa onde foram encontrados ao menos 20 pés de maconha e tabletes de LSD fica localizada no bairro Mocambinho, zona norte da capital.
Duas viaturas da Delegacia de Entorpecentes e outras duas da polícia civil estão estacionados na porta da residência.
Reprodução/Facebook
Peritos trabalham para certificar que as plantas tratam-se de pés de maconha. Vizinhos e muitos curiosos estão na rua acompanhando a movimentação.
“Sempre o via por volta de meio dia quando ia deixar meu filho na escola. Sempre achei a movimentação normal na casa. Ele não mantinha contato com ninguém. Em nenhum momento ele levantou suspeitas”, conta a funcionária pública Auricélia Moraes, vizinha da casa.
Uma denúncia anônima levou a Delegacia de Entorpecentes até uma casa localizada na zona norte de Teresina onde foram encontrados diversos pés de maconha, em vários estágios de plantio. Além disso, foi achado também LSD na residência.
Segundo o delegado Willame Moraes, titular da especializada, a perícia foi acionada para atestar que se trata de maconha. O delegado espera a confirmação para levar o dono da casa para que seja lavrado o auto de flagrante.
“A droga estava sendo cultivada em vários estágios, desde o semeio até a colheita. Era usada até estufa no plantio”, disse o delegado.
O acusado é um professor de inglês que trabalha em uma escola de idiomas na capital.

Fonte: Cidade Verde

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE