Menu...

18 de dezembro de 2017

Médico picoense acusado de matar 5 pessoas da mesma família é ouvido em fórum


Hospital de Olhos

O médico Marcelo Martins de Moura, acusado de matar cinco pessoas da mesma família em um acidente de carro na BR-343 entre Altos e Teresina em junho de 2012, será ouvido no Fórum de Altos nesta quinta-feira (15). Esta é a primeira audiência que decidirá pela condenação ou não do médico. Ele chegou ao local acompanhado de seu advogado Lucas Villa. Parentes das vítimas também estiveram no fórum e com cartazes e faixas pediam por justiça.

A juíza Andreia Lobão revelou que além de Marcelo de Martins também serão ouvidos quatro testemunhas que foram indicadas pelo Ministério Público, sendo dois agentes da Polícia Rodoviária Federal,  uma moradora da região, e o irmão do acusado Lucas Martins.

“Dependendo das circunstâncias haverá nova audiência porque ainda estamos na fase de diligência. Eu posso pedir novos depoimentos, nova perícia, mas caso isso não seja necessário posso solicitar o julgamento imediato”, disse a juíza.

Marcelo está sendo processado por homicídio culposo e, de acordo com a juíza, ele responderá por todas as mortes em conjunto e não separadamente. “A pena para este crime é de 2 a 4 anos e caso ele seja culpado poderá haverá um acréscimo devido o número de mortos”, explicou.

Familiares das vítimas estiveram no Fórum para acompanhar os depoimentos. Edinei Lima é filho do casal Bernadete Maria Lima e Leonidas Pereira Lima. Ele questionou a mudança do dolo no processo já que o crime deixou de ser doloso e passou a ser culposo.

“Nós não aceitamos a tese de que este médico não assumiu o risco de matar ao dirigir embriagado e questionamos esta mudança de doloso para culposo. A família está desacreditada porque o médico conseguiu vários benefícios durante este processo. Esperamos resposta não para nossa família, mas para a população. Foi um crime que chocou”, lamentou.

A promotora Márcia Aida de Lima, comentou sobre a mudança do dolo do crime. Segunda ela, o primeiro juiz que estava acompanhando o caso ao enviar o processo para o Tribunal de Justiça considerou o crime culposo e não doloso como o delegado de Altos havia  colocado em seu parecer. “ O TJ manteve esta decisão e o Ministério Público perdeu o prazo para recorrer desta mudança”, afirmou a promotora.

Edinei Lima também reclamou da postura do Conselho Regional de Medicina que não cassou o registro de Marcelo de Martins. “Ele continua tendo uma vida normal, tanto que voltou a trabalhar na cidade de Miguel Alves”.

Entenda o caso
O acidente aconteceu na madrugada do dia 9 de junho de 2012 e vitimou cinco pessoas da mesma família, a colisão ocorreu na BR- 343, no trecho entre altos e Campo Maior. Segundo a perícia realizada no local, Marcelo Martins de moura trafegava na contramão da via e se chocou com o veículo onde estavam as vítimas.

No acidente morreram Leodivan Pereira Lima, 45 anos; Bernadete Maria lima, 50 anos;
Leonidas Pereira Lima, 50 anos; Rita Teixeira Soares Lima, 40 anos e uma criança de três anos. De acordo com a polícia, o médico havia saído de uma festa no município de Campo Maior, região norte do estado, e seguia em direção à Teresina, e após o acidente fugiu do local sem prestar socorro às vítimas.

FONTE:

 


Tags: , ,

Comente aqui

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE