AMARANTE

ECONOMIA

Petrobras registra queda de 5% na produção no 1º trimestre do ano

Avatar

Publicado em

ECONOMIA


No primeiro trimestre de 2021, a produção média da Petrobras de óleo e líquidos de gás natural (LGN) e gás natural foi de 2,720 milhões de barris por dia. O relatório de produção e vendas divulgado hoje (27) pela estatal mostra uma queda de 5% na comparação com os primeiros três meses do ano passado. Considerando só a produção em solo brasileiro, a redução foi de 4,8%.

Levando em conta apenas óleo e LGN produzidos no país, houve uma queda de 5,3%. Individualmente, a produção nacional média de gás natural também caiu, fechando em 523 milhões de barris de óleo equivalentes por dia (boe/dia), 2,4% inferior na comparação com o primeiro trimestre de 2020.

Na comparação com o quarto trimestre de 2020, no entanto, a produção cresceu 3,1% considerando óleo, LGN e gás natural. Em nota, a estatal considerou que os resultados mostram um sólido desempenho operacional, apesar do agravamento da pandemia de covid-19. “O que motivou esse resultado foi principalmente o crescimento da produção da plataforma P-70, no campo de Atapu”, diz o texto.

Leia Também:  CMN prorroga financiamentos com recursos de fundos constitucionais

Os campos do pré-sal, entre os quais se inclui o campo de Atapu, responderam por 69% da produção no período. Nos primeiros três meses do ano passado, eles produziram 63% do total. “Apesar da continuidade do cenário de contingência, temos conseguido operar com segurança e eficiência e manter um bom desempenho”, registra o relatório.

O documento aponta alguns fatores que influenciaram a queda nos volumes produzidos. Houve declínio natural da produção em 11% dos projetos da estatal que já haviam atingido o pico. Além disso, o relatório revela que os campos em terra e águas rasas tiveram produção 30,6% inferior ao primeiro trimestre de 2020. Esses campos têm sido um dos principais alvos de desinvestimentos da estatal.

Vendas

A estatal registrou uma venda média de 610 mil barris por dia de diesel no primeiro trimestre de 2021 no mercado interno, aumento de 20% na comparação anual. A Petrobras atribuiu o aumento aos ganhos de participação de mercado, devido à maior competitividade frente aos concorrentes.

Leia Também:  Mercado financeiro aumenta projeção da inflação para 3,43%

Já as vendas de gasolina somaram 330 mil barris por dia, aumento de 3,8% em relação ao mesmo período em 2020. O óleo combustível também registrou alta, de 36,1%, com 41 mil barris vendidos por dia. O crescimento, segundo o relatório, reflete maiores vendas para geração de energia termelétrica.

A pandemia de covid-19 foi apontada como principal fator que influenciou a queda na comercialização de querosene de aviação (QAV). No primeiro trimestre de 2021, a companhia vendeu 112 mil barris por dia. A queda foi de 35% em relação ao mesmo período de 2020. Os impactos decorrentes da pandemia, entre elas a redução do volume de viagens áreas, começaram a ser sentidas no Brasil em março do ano passado, no final do primeiro trimestre.

Edição: Claudia Felczak

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ECONOMIA

Petrobras bate recorde de vendas de diesel S-10

Avatar

Publicados

em


A Petrobras bateu o recorde de vendas de diesel S-10 com baixo teor de enxofre, no mês de abril, alcançando a marca de 437 mil barris por dia (bpd), o que representa aumento de 4,4% em relação ao recorde anterior de 418 mil bpd, registrado em março de 2021.

O crescimento das vendas de S-10 gerou receita de US$ 4,6 bilhões no primeiro trimestre de 2021, 24% a mais do que no quarto trimestre do ano passado. Esse aumento reflete as ações da companhia para reduzir os efeitos da pandemia da covid-19 sobre a demanda de combustíveis e os esforços para ampliar a oferta de derivados com menor impacto ao meio ambiente.

De acordo com o diretor de Comercialização e Logística, Cláudio Mastella, “essa ampliação da oferta de diesel S-10 é um dos projetos da companhia para oferta de produtos de maior valor agregado e com menos emissões. Desta forma, buscamos melhor performance operacional e mais competitividade no novo mercado de refino”, avaliou.

Leia Também:  Previsões para a economia podem melhorar, diz presidente do BC

A companhia está reestruturando seu parque de refino para ampliar a produção do diesel S-10, de baixo teor de enxofre, com adequações na Refinaria Duque de Caxias (Reduc), na  Refinaria de Paulínia (Replan) e na Refinaria Henrique Lage (Revap), em São José dos Campos. A expectativa da Petrobras é aumentar a produção de diesel S-10,  que atualmente representa 50% da produção total de diesel da estatal e chegar a praticamente 100% até 2025.

Edição: Denise Griesinger

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

PIAUÍ

POLÍCIA

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA