Press "Enter" to skip to content

Saúde de Amarante dá recomendações alimentares durante a pandemia do Covid-19; vídeo

Last updated on 29 de março de 2020

Cuidar da alimentação, no entanto, é ainda mais crítico em uma situação de pandemia. “É importante manter uma boa imunidade”. “Comer mal e dormir mal são ações que podem reduzir a imunidade, deixando o corpo mais suscetível às contaminações.” Especialista na área pela Associação Brasileira de Nutrologia, esclarece que não existem alimentos milagrosos que curem ou evitem a Covid-19, mas que hábitos saudáveis podem ajudar. Não há alimentos que possam prevenir o vírus, mas sim uma maior imunidade no caso de uma contaminação.

  • Beber água é essencial para manter organismo hidratado, mas se alimentar de maneira saudável e manter o corpo ativo são outras duas coisas indispensáveis para evitar infecções e inflamações, principalmente em tempos de pandemia;
  • Ingerir alimentos de alta densidade nutricional — aqueles que são ricos em vitaminas e minerais, ajudando a fortalecer gradativamente nossas respostas imunológicas, como por exemplo, as verduras, frutas(ricas em vitamina C) e legumes, dando preferência aos alimentos orgânicos, isentos de agrotóxicos; exemplo: alho, gengibre, castanha do pará, orégano, própolis(10 gotas em um pouco de água pela manhã), possui propriedades anti-inflamatórias, e alimentos verdes escuros;
  • Dar preferência a alimentos de baixo índice glicêmico — aqueles que possuem carboidratos mais complexos, e que atingem a corrente sanguínea mais lentamente, demorando a se transformar em açúcar; evitando consumir alimentos feitos com farinhas de trigo refinadas como pães, bolos, biscoitos, massas em geral nessa fase de isolamento, pois não se poderá exercitar de uma forma normal, e a tendência é o aumento da gordura corporal;
  • Preferir alimentos ricos em Vitamina C e baixo índice glicêmico, como a batata doce, aipim e mandioquinha; O ovo é uma excelente opção por ser um alimento rico em Vitamina do Complexo B e proteínas de alto valor biológico, importante no aumento da imunidade;
  • Procure dormir bem, evite estress, pois eleva-se os níveis de cortisol, hormônio que mantém o corpo alerta e afeta a resposta imunológica;
  • As boas escolhas, no entanto, não bastam. Mesmo acertando nas opções, a higiene é essencial dentro e fora de casa. “Ao chegar do mercado, é necessário higienizar os produtos, passando álcool em gel em uma caixinha de leite, por exemplo”. Hortaliças podem ser limpas em uma solução de água com vinagre antes de guardar e na hora de consumir;
  • Na hora de cozinhar, é importante lavar as mãos quando houver contato com novos ingredientes: o calor do cozimento é capaz de inativar o vírus, mas ele pode continuar na pele e contaminar alimentos crus ou gelados;
  • Nos restaurante por quilo( self-service), todo cuidado é pouco. Com a alta circulação de pessoas e a exposição de alimentos é recomendado até mesmo a higienização dos pratos e talheres com álcool em gel antes de se servir no bufê. Após se servir, é importante higienizar as mãos novamente para evitar contaminação por meio das colheres e pegadores compartilhados entre os comensais. E, na hora de beber, melhor usar copos descartáveis. “Em restaurantes, é preciso ter cuidado com as folhas verdes e alimentos crus: a preferência é dos cozidos”; DEVIDO AO ISOLAMENTO SOCIAL, ESSES SERVIÇOS SERÃO SUSPENSOS;
  • Exercícios físicos sem exageros podem ajudar na resposta imunológica e reduzir o processo inflamatório. No isolamento deve-se exercitar-se:abdominais, pular corda, polichinelos, caminhar no quintal etc.

O IMPORTANTE É FICAR EM CASA E COMER COMIDA DE VERDADE, AQUELA COMIDA DA VÓ, OU SEJA FEITO COM ALIMENTOS FRESCOS OU MINIMAMENTE PROCESSADOS!

Be First to Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *