Dia Nacional de Combate ao Colesterol traz alerta para doenças cardiovasculares

WhatsApp
Twitter
Telegram
Facebook

No próximo sábado, dia 8 de agosto, é comemorado o Dia Nacional de Combate ao Colesterol. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), as doenças cardiovasculares são a principal causa de morte no mundo. Em 2017 foram registrados 17,79 milhões de mortes por doenças cardiovasculares, correspondendo a 31,8% do total de mortes.

“O colesterol é importante para várias funções orgânicas, como produção de hormônios e funcionamento das células. Ele pode ser dividido em várias frações, dependendo de sua composição. A fração conhecida como “colesterol ruim”, LDL-colesterol (Low density lipoprotein), quando em excesso, se deposita nas artérias de todo o corpo, formando placas de gordura, chamadas aterosclerose que, ao longo do tempo, podem obstruir a passagem de sangue para os órgãos, afirma a coordenadora da disciplina de Cardiologia da Faculdade São Leopoldo Mandic, Prof.ª Dr.ª Carla Patrícia da Silva e Prado.

A aterosclerose pode limitar o fluxo sanguíneo a qualquer órgão. Os órgãos comumente afetados e que podem levar a morte ou limitações sérias a qualidade de vida são o coração, cérebro e vasos sanguíneos periféricos. “Quando a obstrução se dá no coração, pode provocar o infarto do miocárdio, e quando acontece no cérebro, pode provocar o acidente vascular cerebral, conhecido como derrame”, diz Dr.ª Carla.

No Brasil, o índice elevado de colesterol – superior a 200 mg/dL – é mais prevalente em mulheres (35,1%), nos indivíduos com mais de 45 anos e com menor escolaridade, dados da pesquisa realizada pelo IBGE em parceria com o Ministério da Saúde em 2019. O estudo ainda destacou que das pessoas analisadas, apenas 12,5% afirmaram saber que seu colesterol era elevado e somente 14% já havia realizado dosagem do seu perfil lipídico.

“O motivo para a alta prevalência dos níveis elevados do colesterol é variado. Acredita-se que, desde a era industrial, com a urbanização da população houve modificação relevante dos hábitos alimentares, com diminuição da ingesta de alimentos in natura aliado ao consumo excessivo de alimentos processados e ultraprocessados. Soma-se ao fator alimentar, o desenvolvimento tecnológico acelerado nas últimas décadas, contribuindo ao sedentarismo e ao ganho do peso. A obesidade atualmente é considerada epidêmica e está relacionada diretamente a dislipidemia”, salienta a Dr.ª Carla.

alerta para doenças cardiovasculares colesterol

De acordo com a especialista da Faculdade São Leopoldo Mandic, o nível elevado de colesterol pode ter diversas origens como: alimentação inadequada, obesidade, sedentarismo, consumo elevado de bebidas alcoólicas, outras doenças associadas, genética etc. Segundo a médica, a recomendação é manter hábitos de vida saudável, uma alimentação livre de produtos ultraprocessados, baixo consumo de alimentos processados e pobre em gordura saturada. Além disso, deve ser limitado o consumo de bebidas alcoólicas, abandonar o cigarro, praticar atividade física regular e manter o peso ideal. “Em alguns casos, após avaliação médica, dependendo do perfil de risco individual, pode ser indicado uso de medicamentos redutores do colesterol”, finaliza.

Receba nosso conteúdo

Related Posts

Welcome Back!

Login to your account below

Create New Account!

Fill the forms below to register

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist