O presidente do PSC, Pastor Everaldo, foi preso durante o cumprimento de mandados de prisão e de busca e apreensão contra agentes públicos, políticos e também executivos que participaram do esquema de desvios na saúde liderado pelo governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, que foi afastado do cargo pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) na manhã desta sexta-feira (28).

A Polícia Federal tem ainda como alvos de prisão o advogado Lucas Tristão – ex-secretário de Desenvolvimento Econômico de Witzel, o médico e também ex-prefeito de Volta Redonda, Gothardo Lopes Netto, os empresários Mário Peixoto e os sócios Alessandro Duarte e Cassiano Luz, que já haviam sido presos em maio.

As semelhanças entre o esquema que foi desbaratado na operação Calicute – que prendeu Sérgio Cabral, e a operação Tris in idem, indicam que de modo semelhante ao ex-governador, Wilson Witzel se cercou de integrantes de dentro e de fora do governo para dar continuidade ao esquema de corrupção. O governador foi afastado do cargo na manhã desta sexta-feira (28).

Segundo o Globo, o esquema de Witzel foi divido em eixos, que tinha dentre outros, o Pastor Everaldo e de Mário Peixoto no comando.

Pastor Everaldo vem de mais de 30 anos de bastidores atuando na política nacional e adquiriu ampla desenvoltura em movimentações entre partidos de direita e de esquerda, principalmente no Rio de Janeiro, que é seu domicílio eleitoral.

pastor everaldo, Tris in idem rio de janeiro