Menu...

16 de outubro de 2018

Jair Bolsonaro: ‘Nordeste será prioridade em energia limpa e empregabilidade’


Hospital de Olhos

O candidato à Presidência Jair Bolsonaro publicou em seu perfil no Twitter mais uma das ações que passaram a fazer parte do seu plano de governo com foco no Nordeste do Brasil. Agora, o alvo do capitão do Exército é energia limpa e empregabilidade.

Segundo ele, é fator de suma importância a execução do plano energético para todo o país, sendo o Nordeste ” um dos mais beneficiados”, apostando com veemência na geração de emprego e renda.

“Do nosso plano energético para o Brasil, o Nordeste será um dos mais beneficiados. Sabemos de seu alto potencial para ser base de uma nova matriz de energia limpa e renovável, gerando empregos, investimentos e desenvolvimento de novas tecnologias junto a instituições locais”, diz o candidato.

Na primeira pesquisa do Datafolha após as eleições no 1º turno, publicada nesta quinta-feira (11), o candidato do PSL aparece com larga vantagem de 59% contra 42% de Fernando Haddad, do PT.

Fernando Haddad, já tem esgotadas as chances do crescimento do número dos seus eleitores à sombra do ex-presidente Lula, especificamente no Nordeste, única região onde o candidato superou Jair Bolsonaro.

Para tentar reverter o cenário, Haddad precisa encontrar estratégias que consolidem a migração de eleitores dentro e fora do Nordeste e o coloquem em situação de menos desconforto quanto aos números.

Nessa quarta-feira, o partido anunciou que a imagem do ex-presidente Lula não mais será parte do material de propaganda eleitoral neste segundo turno. O vermelho predominante e o nome do ex-presidente foram deixados de lado abrindo espaço para o verde e o amarelo numa tentativa de contrapor Jair Bolsonaro, que desde o início adotou as cores do Brasil em sua campanha.

O apoio de candidatos derrotados no primeiro turno parece não representar a alternativa certa para reversão dos números das pesquisas. Este se mostra outro fator preocupante para Haddad.

Dentre outros candidatos, Geraldo Alckmin e Marina Silva se neutralizaram deixando seus líderes políticos livres para apoiarem a quem quiserem. Esta última assegura que será oposição, seja quem for o presidente e recomenda “não a Bolsonaro”. Marina Silva, da eleição de 2014 para a de 2018, teve uma perda estratosférica de quase 21 milhões de votos.

O apoio frio de Ciro Gomes a Haddad, contribui de modo indireto a Jair Bolsonaro, pois ele se recusa a participar da campanha do PT ou na composição de um possível governo petista.

Outra iniciativa de Jair Bolsonaro é a criação do 13º Salário para quem recebe Bolsa Família, sendo o Nordeste a maior região em número de usuários. A notícia foi dada por Jair Bolsonaro em seu perfil no Twitter ainda nessa quarta-feira.

As disputas vão se acirrar também nos encontros televisivos em debates que serão promovidos pela grande mídia. Enquanto isso, as redes sociais viram arena de conflitos entre eleitores de ambos os candidatos numa enxurrada de verdades e fake news.

Tags:

Comente aqui

adipiscing felis mi, vulputate, dapibus ipsum