Menu...

21 de novembro de 2018

Gilmar Mendes manda soltar Laurence Casagrande, preso pela PF por desvios no Rodoanel Mário Covas


Hospital de Olhos

O ex-presidente da empresa Dersa, Laurence Casagrande, foi solto nessa terça-feira (4) após prisão em junho por desvios de recursos nas obras do Rodoanel. A empresa é uma estatal paulista responsável pela administração das rodovias estaduais.

A decisão da soltura é do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes.

A prisão de Laurence Casagrande foi decretada pela Justiça Federal de São Paulo em uma operação da Polícia Federal que apura desvios nas obras do Rodoanel Mário Covas, ocasião em que 14 pessoas foram presas.

De acordo com o Ministério Público Federal (MPF) o valor estimado em superfaturamento é da ordem de R$ 600 milhões.

Gilmar Mendes mandou soltar o ex-presidente determinando as medidas cautelares a seguir:

  • Proibição de acesso ou frequência aos prédios e dependências do Dersa, a outros prédios do governo do estado de São Paulo que possam ter relação com os fatos apurados na ação penal;
  • Proibição de manter contato com os demais investigados, por qualquer meio;
  • Proibição de deixar o país, devendo entregar o passaporte em até 48 horas;

Laurence Casagrande foi também presidente da Companhia Energética de São Paulo (Cesp), além de secretário de Transportes e Logísticas do governo Geraldo Alckmin (PSDB).

Geraldo Alckmin falou ao Jornal Nacional no dia 29 de agosto sobre a prisão de Casagrande.

“Eu assumi o governo em 2011, nomeei um promotor de Justiça, aliás, mais do que promotor, um procurador de Justiça do estado, para secretário de Logística e Transporte do estado. Ele escolheu o Laurence Casagrande, que é um homem sério, correto, para presidente da Dersa. Ele foi o presidente da Dersa, fez uma belíssima obra”, declarou o candidato.

O QUE DIZ A DEFESA

Após a decisão de Gilmar Mendes, o advogado de Casagrande, Eduardo Carnelós, divulgou a seguinte nota:

“Nestes tempos tristes em que impera a Banalidade do Mal, de que falou Hannah Arendt, em que se considera normal a manutenção na prisão, sem nenhum fundamento, dum homem de bem, é um alento receber a notícia de que o Ministro Gilmar Mendes deferiu o pedido de extensão para devolver Laurence ao convívio de sua família e seus amigos.”

Tags:

Comente aqui

dolor vel, fringilla luctus leo. massa dictum mi, eget elit. leo