Regina Sousa destaca ações do governo para população em situação de rua

WhatsApp
Twitter
Telegram
Facebook

A vice-governadora Regina Sousa destacou as ações do Governo do Estado para assistência à população em situação de rua. Ela citou três iniciativas. A primeira foi o fornecimento de alimentação, a segunda foi a sanção da lei que institui a Política Estadual para a População de Rua; e a terceira, a cessão de um espaço para acolhimento dessas pessoas, a Escola Anicota Burlamaqui, na zona sul de Teresina.

Regina Sousa explicou que a intenção era construir um espaço para o acolhimento da população de rua, mas devido à pandemia do novo coronavírus, foi necessário encontrar um local para essas pessoas e fazer as adaptações necessárias na escola que oferece cursos e, em breve, terá o ensino médio profissionalizante e o Ensino de Jovens e Adultos (EJA). No local, também funciona a sede da Associação Beneficente São Paulo Apóstolo, a mantenedora da Pastoral do Povo de Rua.

Regina Sousa destaca ações do governo para população em situação de rua

“Estamos dando passos que são necessários para que as pessoas tenham dignidade, independente delas estarem nas ruas,” contou a vice-governadora que lembrou que no mandato como senadora encontrou uma pessoa que disse que gostava de viver nas ruas, mas queria ter direitos. “Às vezes é uma opção de liberdade viver nas ruas, convivo com a população de rua há 40 anos e tudo é no tempo deles, a adaptação deles envolve todo um processo,” explicou Regina Sousa que foi voluntária no Movimento Meninos e Meninas de Rua na década de 1980. Ela informou que no orçamento estadual deste ano, o governo destinou, por meio do programa PRO Social, recursos para a população de rua.

DSC 0024 Regina Sousa destaca ações do governo para população em situação de rua

A Pastoral do Povo de Rua funciona há oito anos e é ligada à Igreja Católica. O arcebispo de Teresina, Dom Jacinto Brito, disse que a igreja faz um trabalho contínuo junto aos moradores de rua, mostrando que a realidade não pode ser esquecida e que, por meio da fé, ensinar as pessoas a olharem o próximo como irmão. “A fé em Deus nos leva necessariamente a olhar o próximo. De modo que, se a gente invocasse a Deus e não olhasse o irmão, estaríamos sendo falsos”, diz o religioso.

DSC 0018 Regina Sousa destaca ações do governo para população em situação de rua

O desafio diário da pastoral é conquistar as pessoas que vivem nas ruas para que elas busquem o acolhimento. “A população de rua não se enquadra e não se molda de forma impositiva,” explicou Ercília Amorim, da coordenação da Pastoral do Povo de Rua. Ela contou que quando elas procuram o atendimento, a entidade desenvolve a sistemática de trabalho que é construída coletivamente entre eles e a equipe composta por profissionais que incluem psicólogos e terapeutas. “É uma convivência enriquecida entre eles e a pastoral cumpre a missão de acolher para ajudar a restaurar a dignidade e dar condição de vida a todos eles”, destaca a coordenadora.

DSC 0002 Regina Sousa destaca ações do governo para população em situação de rua

Um exemplo desse trabalho da pastoral é Márcia Rejane de Sousa Menezes, 44 anos, natural de Regeneração. Ele ficou 22 anos em situação de rua. Fez tratamento em comunidades terapêuticas, teve recaídas e há cinco meses está sóbria. Ela é um das acolhidas pela entidade, fez curso de limpeza e higiene e é voluntária na cozinha. Márcia contou que morou quatro anos nas ruas, foi humilhada, espancada, comeu alimentos do lixo e, após adoecer, resolveu mudar de vida. E com ajuda do marido Marcelo foi para o abrigo.

“No abrigo, me encontrei e com a ajuda de todos, reencontrei minha família, filha, filho, netos. Hoje, eu ajudo meus filhos. Antes, eu tirava deles”, conta Márcia. Ela diz que hoje aprendeu a se respeitar para poder amar o próximo, e o que perdeu em 22 anos, ganhou em cinco meses. E no abrigo realizou o grande sonho: casar. E disse que é grata por Marcelo, o marido está trabalhando como monitor na Casa de Acolhimento, pois no Natal de 2020 comprou para ela, pela primeira vez, um presente. “Chorei ao receber a blusa dentro da loja. Antes era expulsa das lojas, hoje sou chamada de senhora pelas vendedoras”, finalizou Menezes.

Fonte: Governo PI

Receba nosso conteúdo

Related Posts

Welcome Back!

Login to your account below

Create New Account!

Fill the forms below to register

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist