MPPI expede recomendação ao prefeito de Teresina e ao presidente da FMS sobre Plano Municipal de Vacinação contra Covid-19

WhatsApp
Twitter
Telegram
Facebook


Nesta segunda (08/02), o Ministério Público do Piauí, por intermédio da 29ª Promotoria de Justiça de Teresina, expediu recomendação ao prefeito de Teresina e ao presidente da FMS para que seja assegurada a estruturação e o funcionamento do Plano Municipal de Vacinação contra Covid-19.

A primeira recomendação é que seja informada diariamente, ao MPPI, a relação de todas as pessoas vacinadas no dia anterior, com todas as informações, como identificação de nome, local onde foi feita a imunização, função exercida e vacina utilizada. O objetivo é garantir a ampla e irrestrita transparência da vacinação.

Além disso, deve constar um link específico na página eletrônica do Município com os principais dados da Cobertura Vacinal Municipal, preferencialmente sob o formato de painel. Algumas das informações que devem constar são a etapa em que se encontra o Plano de Vacinação, total de doses de vacina recebidas pelo Município, número de doses já aplicadas na população, total de pessoas vacinadas, número de doses “perdidas” ou “danificadas’ durante o processo logístico de vacinação ou armazenamento e o percentual de cobertura vacinal, com relação ao total populacional e aos respectivos grupos prioritários.

Outra recomendação é que o Plano Municipal de Imunização contra a Covid-19 seja atualizado e encaminhado ao MPPI, com inclusão das informações indicadas na recomendação, além das estratégias para levantamento e utilização de eventuais sobras de doses de vacinação em cada unidade de saúde, controle com a indicação dos responsáveis pelas pessoas vacinadas em cada unidade de saúde, coordenação e execução das ações de notificação e investigação de eventos adversos pós vacinação e gerência do estoque municipal de vacinas.

O documento também informa que os meios de comunicação com a população teresinense devem ser ampliados, com a criação e disponibilização de um aplicativo de fácil manuseio, que ofereça informações essenciais e constantes sobre a vacinação na capital, bem como a opção de agendamentos. Além disso, medidas para evitar aglomerações e proporcionar maior segurança aos mais vulneráveis durante a vacinação devem ser adotadas, como a instalação de drive thru.

O promotor de Justiça Eny Pontes finaliza a recomendação estabelecendo o prazo de cinco dias para que os destinatários se manifestem acerca do seu acolhimento, informando ao Ministério Público quais as providências serão adotadas para o cumprimento.

Receba nosso conteúdo

Related Posts

Welcome Back!

Login to your account below

Create New Account!

Fill the forms below to register

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist