Eletrobras-PI deixa consumidores de Amarante sem energia quatro vezes nesta terça-feira, 24

WhatsApp
Twitter
Telegram
Facebook
Das duas uma: ou a Eletrobras-PI não se cansa de liderar o ranking das empresas com reclamações junto aos órgãos de defesa do consumidor, ou ela, no seu silêncio, assume não ter a competência para resolver o problema da falta de energia nas áreas mais afetadas no estado do Piauí, a exemplo de Amarante e grande parte de Teresina.

As constantes quedas no fornecimento de energia têm levado de forma exaustiva os consumidores a ligarem para o serviço de ouvidoria da empresa, assim como, a fazerem reclamações no escritório, que fica em Amarante e/ou em Teresina.

Somente nesta terça-feira, 24, o fornecimento de energia foi interrompido por quatro vezes durante o dia, e, segundo os consumidores, sem nenhuma explicação das ocorrências. As denúncias apontam também para faltas diárias de energia em horários que, de acordo com a população de Amarante, “parecem estar definidos pela Eletrobras”.

“É um absurdo! Só hoje a energia faltou quatro vezes em horários diferentes dos dias anteriores. Em duas dessas vezes o computador estava ligado”, disse o secretário geral do Sindicato dos Trabalhadores Rurais(Str), Leomar Duarte. Questionado acerca do uso necessário do nobreak, sua resposta foi imediata: “Não há nobreak que resista. Aqui nós temos nobreaks em todos os computadores, mas nenhum deles suporta mais essa deficiência da Eletrobras”. O secretário ao referir-se aos equipamentos faz alusão aos danos e prejuízos a que são submetidos sem nenhuma reparação por parte da empresa.

A empreendedora Fátima Durães, da Churrascaria Maranhão, em Amarante, diz não saber mais o que fazer com tantas perdas ocasionadas pelas faltas de energia. “Aqui, eu já perdi sorvetes, carnes, comidas, bebidas e ninguém toma nenhuma providência; já denunciei muito, mas não adianta reclamar”. Ao afirmar, a empreendedora manifesta sua indignação com a empresa especificamente pela má qualidade do serviço executado.

No início de setembro, moradores dos bairros Parque Vitória, Betinha e Angelim, em Teresina, fizeram uma manifestação interditando a Avenida Frei Serafim, num protesto contra a Eletrobrás pela má qualidade nos serviços prestados por ela, o que levou o Procon a processá-la administrativamente para apuração das denúncias.

Notificada, a empresa ficou de prestar esclarecimentos quanto as denúncias de má prestação de serviços e apresentar sua defesa, além de ter que entregar ao órgão uma proposta de regularização do problema, sob pena de aplicação de penalidade administrativa consistente em multa e da propositura de Ação Civil Pública.

Receba nosso conteúdo

Related Posts

Welcome Back!

Login to your account below

Create New Account!

Fill the forms below to register

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist