Defensoria estabelece cota racial para negros, quilombolas e indígenas nos concursos

WhatsApp
Twitter
Telegram
Facebook


sede Defensoria estabelece cota racial para negros, quilombolas e indígenas nos concursos

Defensoria reforça política de igualdade

O Conselho Superior da Defensoria Pública aprovou na última sexta-feira (29), por maioria, durante sua 146ª Sessão Ordinária, a política de igualdade racial e de gênero no âmbito da instituição. A sessão foi conduzida pela presidente do Colegiado e defensora pública geral em exercício, Carla Yáscar Bento Feitosa Belchior.

Segundo ponto da pauta apreciada pelos conselheiros, a política de igualdade racial e de gênero foi um pleito da Defensoria Pública Geral e da Diretoria Regional da Defensoria e teve como relator o conselheiro Roosevelt Furtado de Vasconcelos Filho.

A partir da referida aprovação fica assegurada por meio de Resolução do Conselho Superior a reserva de vagas para negros, indígenas e quilombolas nos concursos e seleções públicas no âmbito da Defensoria Pública do Estado do Piauí para cargos de membros, servidores e estagiários.

Também fica assegurado que em todos os cursos e eventos organizados pela Defensoria Pública do Piauí, seja pela Administração Superior, pelas Diretorias, pela Ouvidoria-Geral da Defensoria Pública ou pela Escola Superior, sejam observados, sempre que possível, a equidade racial e de gênero na composição de mesas e na condição de palestrantes, instrutoras (es) e professoras(es). Assim como que seja observado, sempre que possível, a representatividade das pessoas e grupos usuárias (os) da Defensoria Pública; e, que o apoio da DPE/PI a eventos externos deverá sempre atentar para a equidade racial e de gênero.

Ao aprovar a política de igualdade racial e de gênero os conselheiros observaram, entre outros pontos, o princípio da dignidade da pessoa humana, fundamento da Republica Federativa do Brasil, e a necessidade de redução das desigualdades sociais e da promoção do bem de todos, sem preconceitos de origem ou raça, conforme art. 1°, inciso III e art. 3°, Incisos III e IV da Constituição Federal; a orientação da Convenção Internacional sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação Racial, ratificada pelo Decreto Federal n° 65.810, de 8 de dezembro de 1969 e Convenção n° 111 da OIT, ratificada pelo Decreto Federal n°62.150 de 19 de janeiro de 1968, que dispõe sobre discriminação sobre matéria de emprego e profissão, assim como que a Defensoria Publica é instituição permanente, essencial a função jurisdicional do Estado, incumbindo-lhe, como expressão e instrumento do regime democrático, fundamentalmente, a orientação jurídica, a promoção dos direitos humanos e a defesa, em todos os graus, judicial e extrajudicial, dos direitos individuais e coletivos, de forma integral e gratuita, aos necessitados, conforme art.1° da Lei Complementar n°95/2005.

Fonte: Governo PI

Receba nosso conteúdo

Related Posts

Welcome Back!

Login to your account below

Create New Account!

Fill the forms below to register

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist