Caso Mari Ferrer: Catia Fonseca critica as falas do advogado de defesa

WhatsApp
Twitter
Telegram
Facebook


source

sentença do caso Mariana Ferrer é um dos assuntos mais comentados do momento. O site Intercept publicou um vídeo da audiência, no qual é possível ver Cláudio Gastão da Rosa Filho, advogado que representa o acusado de estupro André Camargo Aranha, falando que não queria ter uma filha como a influencer a dizendo que ela está denunciando o cliente dele para conseguir seguidores.  Diversas celebridades já falaram sobre o caso e a apresentadora Catia Fonseca opinou sobre o assunto ao vivo na Band. 

Catia Fonseca
Reprodução/Instagram

Catia Fonseca se pronuncia sobre o caso Mari Ferrer

Catia disse que sente “desiludida” e de “saco cheio” com a resolução do caso e discordou dos argumentos de que o empresário não tinha a intenção de estuprar. “Que seja uma prostituta, para a gente ir para os extremos absurdos. Uma prostituta é paga para fazer sexo, se a prostituta, na hora que estiver na cama com o cara, falar ‘eu desisti, não quero mais’, se ele tentar é estupro. Para esse tiozinho, esse Cláudio Gastão da Rosa Filho entender. Se o Dr. Cláudio resolver ter uma relação com a esposa dele e a esposa dele falar ‘não, Cláudio, hoje eu não quero’ e ele insistir e fizer sexo, é estupro, mesmo que seja esposa do Dr. Cláudio”, disse a apresentadora.

Relembre o caso

Em dezembro de 2018, acontecia a festa Music Sunset do beach club Café de la Musique, em Jurerê Internacional, praia de Florianópolis frequentada por ricos e famosos. Na ocasião, Mariana trabalhava como promotora do evento, divulgando a festa nas redes sociais.

A influencer alega ter sido drogada e estuprada naquela noite. Foi vazado um vídeo na internet de Mariana subindo as escadas, seguida por André de Camargo Aranha, em direção a um dos camarins. Seis minutos depois, os dois descem pelo mesmo caminho. Ela alega que foi estuprada pelo empresário no momento em que eles ficaram sozinhos.

Mariana era virgem até então, o que foi constatado pela perícia. Ela acredita ter sido drogada e diz ter sofrido um lapso de memória entre os momentos em que uma amiga a puxa para o camarote e em que vai ao camarim com Aranha. Inicialmente, o promotor Alexandre Piazza indiciou o empresário por estupro de vulnerável, quando vítima está sob efeito de álcool ou de algum entorpecente. Ele também pediu a prisão preventiva, que foi negada em segunda instância.

Na última terça-feira (3), foram divulgados vídeos nas redes sociais da audiência. O advogado que representa Aranha, Cláudio Gastão da Rosa Filho, diz que Mariana quer conseguir fama e dinheiro com esse caso e que não gostaria de ter uma filha como ela

Fonte: IG Mulher

Receba nosso conteúdo

Related Posts

Welcome Back!

Login to your account below

Create New Account!

Fill the forms below to register

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist