AMB classifica feminicídio como ‘chaga’ ao falar sobre caso de juíza assassinada

WhatsApp
Twitter
Telegram
Facebook


source
Juíza Viviane Vieira Arronezi foi esfaqueada na frente das filhas
Reprodução

Juíza Viviane Vieira Arronezi foi esfaqueada na frente das filhas

A Associação dos Magistrados Brasileiros divulgou nota de repúdio, na última sexta-feira (25), sobre o assassinato de Viviane Vieira do Amaral Arronenzi, do Tribunal de Justiça do Rio.  A juíza foi morta pelo ex-marido na frente das três filhas na véspera do Natal e o crime foi registrado em vídeo por uma testemunha. 

A entidade divulgou uma nota subscrita pela presidente Renata Gil expressando indignação com o crime e tratando o feminicídio como uma “chaga”.

“Como maior entidade representativa dos juízes e desembargadores do País, a AMB repudia com veemência casos de feminicídio e defende o uso de todos os instrumentos legais disponíveis para o combate à violência doméstica, além do aperfeiçoamento da legislação”, diz. “A magistratura zela para que os crimes sejam elucidados com a maior rapidez, exige a pronta apuração de delitos cujos indícios apontam para o crime de assassinato pela condição de mulher, e para que os culpados sejam punidos com o rigor da Lei”.

Há três meses, Viviane denunciou o ex-marido por lesão corporal e ameaças. Em 2007, uma ex-namorada de Arronenzi já havia denunciado o engenheiro por agressão.

Fonte: IG Mulher

Receba nosso conteúdo

Related Posts

Welcome Back!

Login to your account below

Create New Account!

Fill the forms below to register

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist