Menu...

25 de setembro de 2018

Após morte de aluna, clérigo reafirma que médico não pode cuidar de mulher desacompanhada


Hospital de Olhos

RIAD – Um membro da mais alta autoridade religiosa da Arábia Saudita defendeu nesta quinta-feira um decreto que proíbe que uma mulher seja atendida por um médico sem a presença de um tutor.

A declaração desse religioso acontece depois da recente morte de uma estudante na Universidade Rei Saud de Riad depois que um enfermeiro foi proibido de entrar no campus devido à ausência de um “Mahram”, um guardião legal.

– As mulheres podem ser atendidas por um médico apenas na ausência de uma médica. Nesse caso, não devem ficar sozinhas e o médico só pode olhar para a parte do corpo relacionada à doença – explicou o xeque Qays al-Mubarak, membro do Conselho dos Grandes Ulemás da Arábia Saudita, citado pelo jornal Al-Hayat.

Em 2002, quinze estudantes morreram em um incêndio em uma escola, em Meca, quando a polícia religiosa proibiu as retirada das jovens sob o pretexto de que não estavam vestidas de acordo com o código de vestuário islâmico.

Fonte: OGlobo

Tags: , , ,

Comente aqui

id commodo ipsum velit, sed Praesent suscipit fringilla ultricies vel, ut leo.