Coluna – O risco das previsões num campeonato tão irregular

WhatsApp
Twitter
Telegram
Facebook


E vamos falar de novo em números? E em como a frieza deles às vezes nos engana, em um esporte em que a imprevisibilidade está sempre presente? Vamos! E eu mesmo lembro a vocês que, semana passada, diante dos números, o São Paulo já poderia festejar o título brasileiro. Afinal, desde 2011, o líder da 30ª rodada ficou com a taça. Mas as coisas mudaram.ebc Coluna - O risco das previsões num campeonato tão irregularebc Coluna - O risco das previsões num campeonato tão irregular

É bem verdade, também, que eu destaquei um feito inédito, à época, do mesmo São Paulo: em 2018, campeão do turno, além de ele ser um dos quatro times, em 14 edições, que não garantiram o título brasileiro no fim, o Tricolor paulista foi o único a não ficar sequer no G4. Ou seja, desempenho inédito no returno do Brasileirão é com ele mesmo, ao que parece.

O fato é que, sete dias depois, o Brasileirão é outro. Agora o líder é o Internacional, e com quatro pontos de vantagem para o segundo colocado, ainda o São Paulo, com um jogo a mais que o Flamengo. Nesse meio de semana, teremos a realização de quatro partidas atrasadas, e na quinta-feira (28) finalmente veremos os 20 times com o mesmo número de jogos disputados. E, só então, será mais apropriado arriscar previsões sobre o futuro.

Mas, até lá, que tal pensarmos em duas outras edições do Brasileirão, bem semelhantes à atual? Em 14 edições com 20 equipes, em apenas quatro o campeão foi conhecido na última rodada – de 2008 a 2011. Curiosamente, semana passada, falamos desse último, muito similar à atual edição, em que o Corinthians se sagrou campeão. Mas, da 32ª rodada até o fim, muita coisa aconteceu.

A seis rodadas do fim, o Timão liderava com os mesmos 58 pontos que o Vasco, e atrás, na sequência, vinham Botafogo, Fluminense, Flamengo e Internacional. Aos poucos, a briga foi se restringindo aos dois primeiros, e os paulistas terminaram com dois pontos a mais que os cariocas – 71 a 69. Ou seja, foram 13 pontos em 18 possíveis. Por outro lado, o Botafogo marcou apenas um e ficou em nono lugar com 56, abrindo vaga para o Flamengo no G4.

Em 2009, foi bem diferente, mas vale a pena lembrar porque tem muita gente dizendo que o Internacional já será o campeão se chegar no fim de semana com quatro pontos de vantagem para São Paulo e Flamengo. Naquele ano, na rodada 32, o Palmeiras liderava com 57, seguido por São Paulo (55), Atlético-MG (53), Internacional (52), Cruzeiro e Flamengo (ambos com 51). Como todo mundo sabe quem foi o campeão, ressalto que a diferença do Rubro-Negro carioca para o então líder era de seis pontos!

E como terminou? De forma dramática, porque o São Paulo assumiu a liderança na rodada 36 e, depois dela, somou apenas três pontos, sendo superado por Flamengo e Internacional, que venceram seus dois jogos e terminaram à frente.

O que eu quero dizer com isso tudo? Que eu adoro números, mas que tão certo como a frieza deles estava Benjamin Wright, ao dizer que “o futebol é uma caixinha de surpresas”. E com 18 pontos ainda em jogo, muitas ainda podem acontecer.

* Sergio du Bocage é jornalista e apresentador do programa No Mundo da Bola, da TV Brasil

Edição: Gustavo Faria

Receba nosso conteúdo

Related Posts

Welcome Back!

Login to your account below

Create New Account!

Fill the forms below to register

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist