Índice que reajusta aluguéis fecha o ano com alta de 23,14%, diz FGV

WhatsApp
Twitter
Telegram
Facebook


O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) desacelerou em dezembro, registrando alta de 0,96%, depois de variar 3,28% em novembro. De janeiro a dezembro de 2020, o índice, que é usado como base para o reajuste dos contratos de aluguel, acumulou alta de 23,14%. Em dezembro do ano passado, a taxa foi de 2,09% e a alta acumulada nos 12 meses de 2019 ficou em 7,30%.ebc Índice que reajusta aluguéis fecha o ano com alta de 23,14%, diz FGVebc Índice que reajusta aluguéis fecha o ano com alta de 23,14%, diz FGV

Os dados foram divulgados hoje (29) pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV Ibre). O Coordenador dos Índices de Preços do instituto, André Braz, destaca que a desaceleração ocorreu por causa da diminuição da pressão inflacionária no índice ao produtor por estágios de processamento, que cedeu em dezembro.

“As matérias-primas brutas caíram 0,74% em dezembro. As principais contribuições para este movimento partiram das commodities: soja (11,91% para -8,93%), bovinos (7,40% para -0,58%) e milho (21,85% para -2,17%). Os preços da soja e do milho seguem em alta em bolsas internacionais e tal movimento pode limitar a magnitude das quedas nas próximas apurações”.

Índice de Preços ao Produtor Amplo

O principal componentes do IPG-M, o Índice de Preços ao Produtor Amplo também desacelerou, registrando variação de 0,90% em dezembro, abaixo dos 4,26% de novembro. No ano, a taxa acumulou alta de 31,63%.

Por estágios de processamento, o grupo bens finais variou 2,04% em dezembro e fechou 2020 com alta de 15,78%. A taxa do grupo bens intermediários passou de 4,07% em novembro para 1,86% em dezembro, fechando o ano em 21,38%. Para o estágio das matérias-primas brutas, o índice caiu 0,74% em dezembro, após alta de 5,60% em novembro, com acumulado em 12 meses de 59,96%.

No mês, contribuíram para a desaceleração no índice o preço do tomate, que caiu 30,16%, e dos suínos, com queda de 13,41%. As principais altas foram no óleo diesel (7,80%) e nas aves (4,96%).

Índice de Preços ao Consumidor

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) avançou 1,21% em dezembro, depois de subir 0,72% em novembro, acumulando alta de 4,81% em 2020. A maior variação no mês ocorreu no grupo habitação, que passou de 0,23% em novembro para 2,11% em dezembro, com destaque para a taxa de eletricidade residencial, que havia caído 0,16% em novembro e aumentou 8,59% em dezembro.

No acumulado do ano, o único grupo do IPC que apresentou queda foi vestuário, que ficou 1,32% mais barato. Já alimentação aumentou 12,69% no ano. Habitação teve alta de 4,18% em 2020, a taxa de educação, leitura e recreação subiu 5,46%, saúde e cuidados pessoais cresceu 2,60% e o transporte aumentou 2,21%.

As principais influências no índice foram o preço da passagem aérea, que subiu 14,62%, e da eletricidade (8,59%). As maiores quedas foram verificadas no limão (22,90%), na manga (12,41%) e no tomate (11,51%).

Índice Nacional de Custo da Construção

Último componente do IGP-M, o Índice Nacional de Custo da Construção variou 0,88% em dezembro, ante 1,29% em novembro. No acumulado do ano, o INCC fechou com alta de 8,66%.

O grupo materiais, equipamentos e serviços subiu 1,76% no mês e acumulou alta de 15,93% no ano. O índice da mão de obra ficou em 0,06% em dezembro e 2,54% em 2020.

Os principais aumentos no mês foram no grupo tubos e conexões de ferro e aço (6,08%), vergalhões e arames de aço ao carbono (4,57%) e tijolo/telha cerâmica (3,82%).

Edição: Valéria Aguiar

Receba nosso conteúdo

Related Posts

Welcome Back!

Login to your account below

Create New Account!

Fill the forms below to register

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist