Press "Enter" to skip to content

Em Amarante, Ministério Público ouve empresa após reclamações sobre fumaça na fabricação de asfalto

Last updated on 14 de fevereiro de 2020

O Ministério Público, que tem à frente o promotor Afonso Aroldo, ouviu em audiência extrajudicial realizada esta semana moradores do bairro Novo Amarante e representantes da empresa LCM Construção e Comércio S/A.

A empresa, que tem sido alvo de reclamações dos moradores do bairro por causa da emissão de fumaça na fabricação de asfalto, foi intimada a comparecer ao Ministério Público para ser ouvida acerca do problema. A audiência foi realizada nessa terça-feira (11).

Conforme matéria veiculada pelo Somos Notícia

no dia 7 de fevereiro, os moradores procuraram o site argumentando que estão tendo dificuldades no dia-a-dia por causa da poluição. Há reclamações de vários moradores, alguns deles cirurgiados, outros com problemas respiratórios, além de crianças, gestantes e idosos. (Veja matéria completa aqui)

Durante a audiência, representantes da empresa informaram ao promotor que a queima do material para fabricação do asfalto já não acontece no Novo Amarante, tendo sido foi transferida na última sexta-feira (07) para outro local, no lixão de Amarante, nas proximidades da comunidade Saco da Cachoeira, zona rural do município. A mudança, segundo os moradores, não sortiu efeito, e uma nova audiência precisou ser marcada.

“Não houve hoje nenhum acordo definitivo, mas a empresa disse que está se adequando quanto à emissão do gás poluente ou mau cheiro. Os moradores falaram que ainda estão sentindo o mau cheiro. Eu me propus a ir lá para saber se realmente há esse mal cheiro e saber como vamos fazer com a empresa para que esse mal cheiro cesse”, disse o promotor Afonso Aroldo ao Somos Notícia.

Uma nova audiência extrajudicial está agendada para a próxima terça-feira (18), quando o Ministério Público espera que uma solução seja apresentada sem comprometimento do processo de fabricação do asfalto.

Da empresa LCM Construção e Comércio S/A, compareceram à audiência o engenheiro Valdir Fernandes e o representante do setor administrativo, Edgar. De acordo com o engenheiro, uma nota de esclarecimento acerca do problema enfrentado pelos moradores seria encaminhada ao Somos Notícia até essa quarta-feira(12), o que não aconteceu.

Da comunidade, compareceram as moradoras Marli Brandão, Luzanira de Sousa, Isaneide Fonseca e Janiellen Carla.

Fotos: Leomar Duarte | Somos Notícia

Be First to Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *