Menu...

21 de setembro de 2018

Eleições do STR podem ser anuladas por 31 votos não contabilizados; Luíza Neta perde por seis


Hospital de Olhos

ATUALIZADA À 01h25 DE 27 DE ABRIL
O que deveria ser razão de comemoração, tornou-se motivo de preocupação para os membros da chapa 01 nas eleições do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Amarante. Por apenas seis votos de maioria, Ângela Maria venceu as eleições, mas já teme uma possível anulação do processo eleitoral.

O STR conta com 9.931 associados, sendo 2.529 membros aptos a votar. Desse total, compareceram às urnas 1.666 eleitores. Votos em separados, foram contabilizados 168. Os votos válidos foram 1834. No geral, foram 889 votos para a Chapa 01 e 883 para a chapa 02.

De acordo com o advogado Marcos André, um dos representantes jurídicos da chapa 02, que tinha à frente a candidata Luíza Neta, 31 votos em separado, da seção 14, que poderiam reverter o resultado, não foram contabilizados pela mesa apuradora por falta de envelopes para acolhimento dos referidos votos na seção. Os nomes dos 31 eleitores não constavam na lista de votação e eles, portanto, depositaram seus votos na urna, quando deveriam ter depositado em envelopes específicos. “Por já terem sido contabilizados votos de outras seções anteriormente, as duas chapas perderam 15 votos e 1 foi considerado nulo, o que pode ter nos prejudicado. Além do mais, vários eleitores da chapa 01 apareceram em uma, duas ou três seções ao mesmo tempo, podendo o eleitor votar mais de uma vez, o que representa uma perda significativa para a candidata Luíza Neta. Isso, por um erro do STR ou da própria Fetag”

A assessoria deverá entrar com o recurso para anulação da eleição dentro do prazo previsto no regimento, que é de cinco dias. “A comissão eleitoral vai convocar uma assembleia geral, que poderá decidir ou não por nova eleição”, acrescenta Dr. Marcos André ao afirmar que já está com a documentação necessária da comissão e da mesa apuradora para iniciar o processo. “Nós acreditamos em uma posição afirmativa e uma resposta viável para conseguirmos uma nova eleição.”

O vereador Rogério Macêdo (PSD) refere-se ao resultado das urnas como um mal para Amarante. “Esse resultado significa um retrocesso para o nosso município porque a gente vê um processo eleitoral desorganizado propositalmente para que haja uma manipulação eleitoral. Isso é grave, perigoso e muito ruim para a população amarantina.”

Rogério Macêdo diz ainda que, por causa do resultado das eleições, o prefeito Luiz Neto lhe ligou para fazer deboche. A situação política entre os dois já não vinha bem, depois da ligação, a relação foi rompida. “Após cinco minutos da eleição, o prefeito Luiz Neto me ligou no meu celular para debochar da minha cara por conta dos resultados. Eu achei de muito mal gosto a brincadeira, fiquei indignado e pedi a ele que nunca mais me dirija a palavra. Se a Luíza Neta tivesse ganhado a eleição, eu jamais lhe faria tamanho deboche.”

Durante a entrevista, ele fala de estranheza referindo-se à união repentina do prefeito com o tesoureiro do STR, José Pereira (PT). “O prefeito o processou diversas vezes. Achei estranha essa união repentina entre os dois. Desde a época da eleição da Câmara, houve um acordo entre ambos. A partir daí, o prefeito passou a ser o mais correto e trabalhador para José Pereira.”

O vereador Diego Teixeira(DEM) fala em um processo desorganizado intencionalmente. Na sua visão, Luíza Neta venceria com expressa diferença de votos. “Eu admiro muito a Luíza Neta pela força, pela coragem e pela determinação. Seis votos dão uma maioria numérica à candidata vitoriosa, mas se não fossem os desvios e corrupção eleitoral, a Luíza ganharia com mil votos de maioria. A chapa 01 manipulou, no mínimo mil votos.”

O parlamentar, que acompanhou o processo de apuração, confirma que eleitores votaram em seções distintas das zonas rural e urbana. “O processo de apuração foi desorganizado por ser composto por pessoas incompetentes para executar as eleições. Eles desorganizam para que pudessem fraudar o processo eleitoral. Pessoas que votaram no interior, votaram também na cidade. O que tem que se fazer é uma reforma profunda em Amarante. Nós vamos buscar a anulação por fraude eleitoral.”

ATUALIZADA ÀS 12h39 DE 26 DE ABRIL
Mais de 2500 eleitores estão aptos a votar nas eleições do Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR), que estão acontecendo neste domingo, 26, em Amarante.

Ao todo, dezessete urnas estão recebendo as cédulas, seis delas localizadas na sede. As equipes das chapas 01 e 02 e suas assessorias jurídicas estão presentes nos locais de votação e atentas ao menor sinal de irregularidade.

“Tentativas de compra de votos e cédulas falsas estão entre as manobras em vários locais de votação, fora isso, está tudo tranquilo!”, afirmou o assessor jurídico Marcos André da Chapa 02.

O horário de votação iniciou às 08h, com encerramento previsto para as 16h. A expectativa de ambas as chapas é que até às 18h já se tenha os resultados da maior e mais disputada eleição do STR, segundo os membros das equipes.

Os vereadores e líderes políticos de situação e oposição estão comparecendo ao local. O policiamento de Amarante está fazendo a guarnição durante todo o processo de votação.

eleiçõesDSCF9891

IMG_20150426_222351882
Assessores jurídicos

eleiçõesDSCF9894

IMG_20150426_180833157

IMG_20150426_174819714

Edição, postagem e fotos: Denison Duarte

Tags: ,

Comente aqui

Aliquam odio ut Aenean lectus massa Praesent suscipit vulputate, id, luctus