Ministro Albuquerque monitora restabelecimento de energia no Amapá

WhatsApp
Twitter
Telegram
Facebook


O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, segue monitorando pessoalmente a religação de transformadores e subestações de energia no Amapá. Após a autorização da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para o uso de duas usinas termelétricas no estado, o ministro Albuquerque acionou, mais cedo, o gerador de uma delas.ebc Ministro Albuquerque monitora restabelecimento de energia no Amapáebc Ministro Albuquerque monitora restabelecimento de energia no Amapá

Além do uso das usinas em caráter excepcional, o Ministério de Minas e Energia já havia autorizado a instalação de 22 unidades emergenciais de geração de energia na região. A subestação Santa Rita recebeu 13 geradores, enquanto a subestação Santana recebeu outros 9 geradores.

O Ministério das Comunicações, que também está engajado no restabelecimento da energia no Amapá, publicou hoje (20) um extenso caderno de ações conjuntas. Segundo o documento, o governo federal monitora de perto a situação do estado com um gabinete de crise composto por diversos órgãos e agências.

Veja as ações de outras pastas:

» Ministério da Defesa

Coordenador da Operação Amapá, o Ministério da Defesa autorizou o emprego das Forças Armadas para ações de suporte ao restabelecimento de energia no Amapá. Em parceria com a Defesa Civil local, os militares estão responsáveis pela distribuição de água potável para a população e pelo suporte em hospitais, laboratórios e clínicas.

Médicos, dentistas, farmacêuticos e nutricionistas militares também estão empenhados em prestar suporte à população. Segundo informa o Ministério da Defesa, aeronaves e navios estão fazendo o transporte de suprimentos e geradores para a região.

» Ministério do Desenvolvimento Regional

A pasta repassou cerca de R$ 21,5 milhões para locação de geradores e aquisição de combustível para abastecer temporariamente o Estado. A pasta também é responsável pela Defesa Civil.

» Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde (MS) atua no despacho de medicamentos, equipes e insumos para garantir o consumo de água potável no Amapá. Segundo informa o caderno de ações do governo federal, há equipes de saúde ambiental, saúde do trabalhador, vigilância de emergências em saúde pública, imunização e doenças transmissíveis e demais agentes da secretaria de Vigilância em Saúde do ministério (SVS).

O MS trabalha, ainda, para elaborar um plano de ação para curto e médio prazo, além de um plano de resposta à doenças agudas, que tendem a aumentar no advento da falta prolongada de energia elétrica. Segundo o relato do MS, doenças diarreicas agudas, malária, arboviroses e grupos de risco, como diabetes, hipertensão e doenças transmitidas por alimentos serão o foco das ações nas próximas semanas.

A pasta informa, ainda, que todos os procedimentos para prevenção do contágio do novo coronavírus fazem parte dos protocolos.

» Ministério da Infraestrutura

A pasta trabalha para manter o fluxo normal em rodovias, aeroportos e demais vias de acesso ao estado e às regiões críticas para o fornecimento de energia. O ministério informa que os banheiros dos aeroportos estão abertos para a população em geral.

Projeto de indenização

O plenário do Senado Federal aprovou, na quinta-feira (19), um projeto para indenizar cidadãos do Amapá pelo apagão. Segundo o texto da iniciativa, a indenização seria feita por meio de créditos sobre a conta de luz. O texto ainda deve passar pelo aval dos deputados e pela sanção presidencial. A compensação será dada para consumidores residenciais, industriais ou comerciais que tiveram a energia cortada.

Ouça a matéria da Rádio Nacional:

Calendário de eleições

Com a crise no fornecimento de energia, as eleições no estado foram adiadas, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Luís Barroso, definiu as novas datas: 6 de dezembro para a votação em primeiro turno e 20 de dezembro para o segundo turno, se houver.

Segundo nota emitida pelo Ministério das Comunicações, há preocupação e monitoramento do governo federal sobre as condições de segurança, locomoção e funcionamento do pleito. Todas essas questões serão avaliadas constantemente.

Segundo o documento, aproximadamente 765 mil pessoas foram afetadas pelo apagão, o que corresponde a 90% da população do estado.

Edição: Valéria Aguiar

Fonte: EBC Geral

Receba nosso conteúdo

Related Posts

Welcome Back!

Login to your account below

Create New Account!

Fill the forms below to register

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist