AMARANTE

Piauí

MPPI participa de audiência judicial sobre atividades de dragas no Rio Poti

Publicado em

Piauí


A promotora de Justiça Carmelina Moura participou, hoje (27), de audiência sobre as atividades das dragas no Rio Poti, um dos cursos de água que banham a capital piauiense. Carmelina Moura é titular da 24ª Promotoria de Justiça de Teresina, com atribuições de defesa do meio ambiente e do patrimônio histórico e cultural. A audiência foi realizada no decurso de processo que tramita na Justiça Federal.

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semam) apresentou relatório sobre as atividades das dragas. Foi estabelecido que o órgão, no prazo de 60 dias, prestará informações sobre as condições ambientais do território atingido e sobre o Plano de Recuperação de Área Degradada. O relatório final deve ser encaminhado ao Ministério Público para manifestação quanto às medidas pertinentes.

Também participaram da audiência representantes do Ministério Público Federal, da Advocacia-Geral da União, da Procuradoria-Geral do Estado, da Procuradoria-Geral do Município, da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, da Empresa Teresinense de Desenvolvimento Urbano, da Superintendência das Ações Administrativas Descentralizadas e de empresa privada, além de antigos proprietários de draga.

Leia Também:  Profissionais de Saúde do Piauí participam de videoconferência sobre coronavírus

As dragas são embarcações especiais projetadas para executar diversas funções em leitos de rios e no mar, sendo que a principal delas é extrair resíduos e sedimentos. A promotora de Justiça Carmelina Moura explica que, sem fiscalização, planejamento e controle, tais atividades podem provocar danos e degradação ambiental.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Piauí

Projeto irá capacitar ex-dependentes químicos e os familiares

Publicados

em


O Governo do Estado por meio da Coordenadoria de Enfrentamento às Drogas do Piauí (Cendrogas) realizou nesta quarta-feira (01), solenidade de assinatura do Termo de Fomento com a Fazenda da Paz, para execução do Projeto de Reinserção Social.

O projeto tem como objetivo capacitar os egressos de Comunidades Terapêuticas e seus familiares em situação de vulnerabilidade social objetivando a inserção/reinserção ao mercado de trabalho, promovendo a atenção integral através do trabalho em rede com as unidades públicas de assistência social.

Representando o governador Wellington Dias, a vice-governadora Regina Sousa falou da importância do Estado ajudar na oferta de capacitação para quem busca o tratamento da dependência química.

“Fico feliz de estarmos hoje assinando essa parceria como forma de apoiar a formação e capacitação dos acolhidos em Comunidades Terapêuticas”, afirmou Regina.

Através do Projeto serão ofertados cursos de marcenaria, serviços gerais, doces e salgados, mecânica de motos e manutenção predial, atendendo diretamente 480 egressos e indiretamente mais de 1.500 familiares. Estas capacitações serão oferecidas no Centro de Reinserção Padre Pedro Baizi, localizado na Rua Simplício Mendes, 1698, Bairro Vermelha.

Leia Também:  Escola Piauiense de Trânsito participa da 1ª edição do "The Bike Fest"

“A Cendrogas, juntamente com a Fazenda da Paz, celebra este Termo que tem o objetivo de capacitar os egressos e seus familiares, preparando eles para o mercado de trabalho. No início serão oferecidos 5 cursos”, informou Cida Santiago.

Célio Luiz Barbosa, coordenador geral da entidade executora do projeto e presidente da Federação Nacional das Comunidades Terapêuticas (FENACT), reforçou o pioneirismo desta ação no Piauí.

“Para nós que trabalhamos há 27 anos com a Política Sobre Drogas, este passo de hoje é muito importante, pois este feito da reinserção social é pioneiro em todo Brasil. Chegaremos com este projeto em todas as CTs do Piauí e com isso estaremos exportando a nossa mão de obra. Agradecemos também o exemplo de fortalecimento dado pelo Governo do Estado através da Cendrogas no combate e enfrentamento às Drogas”, falou Célio Barbosa.

Um dos exemplos de como a capacitação tem dado certo, é o ex-dependente químico, Cícero Feitosa, que foi tratado na Fazenda da Paz e hoje é colaborador da entidade há mais de 15 anos.

Leia Também:  Homem com capacete no braço morre em colisão de moto com caminhão

“O próprio tratamento me ensina a voltar para a sociedade através dos cursos e com isso sair com uma garantia a mais, pois pude sair com uma força a mais para encarar a sociedade. A importância de sair com um diploma de curso profissional, vai me fazer capaz de ser reinserido na sociedade”, finalizou Cícero.

Participaram também da solenidade, a presidente da Fazenda da Paz, Eneida Lustosa, o assessor técnico e a gerente de prevenção e acolhimento da Cendrogas, Sâmio Falcão e Pollyana Menezes, respectivamente.

Fonte: Governo PI

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

PIAUÍ

POLÍCIA

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA