AMARANTE

SAÚDE

Mapa aponta estado do Rio como de risco alto para a covid-19

Publicado em

SAÚDE


O estado do Rio entrou na zona de alto risco (bandeira vermelha) na classificação de risco para covid-19 elaborada pela Secretaria de Saúde. É a primeira vez que isso acontece desde que o governo do estado começou a fazer o monitoramento por meio do Mapa de Risco da Covid-19, em julho.

Das nove regiões do estado, cinco estão classificadas com bandeira vermelha: Metropolitana I, Baía da Ilha Grande, Serrana, Norte e Noroeste, que concentram 75,58% da população fluminense.

A 12ª atualização do Mapa de Risco da Covid-19 indica que as outras regiões (Médio Paraíba, Centro Sul, Baixada Litorânea e Metropolitana II) estão classificadas em bandeira laranja, o que significa risco moderado para a covid-19. A análise compara as semanas epidemiológicas 49 (de 29 de novembro a 5 de dezembro) e 47 (de 15 a 21 de novembro).

De acordo com a Secretaria de Saúde, cada bandeira representa um nível de risco e um respectivo conjunto de recomendações de isolamento social que variam entre as cores roxa (risco muito alto), vermelha (risco alto), laranja (risco moderado), amarela (risco baixo) e verde (risco muito baixo).

Mapa de risco de covid-19 no estado do Rio de Janeiro Mapa de risco de covid-19 no estado do Rio de Janeiro

Leia Também:  Butantan protocola pedido de realização de estudo de vacina na Anvisa
Divulgação/Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro

A Secretaria de Estado de Saúde destaca que o Rio de Janeiro apresentou um expressivo aumento no número de internações e de óbitos ao longo das semanas epidemiológicas 47 e 49, relativas ao período de 15 de novembro a 5 de dezembro. “Entre essas semanas a média de internações registradas foi de 2.500 e 507 óbitos. As taxas de ocupação de leitos de UTI também indicam um agravamento do cenário”, apontou.

Taxa de ocupação

A taxa de ocupação de leitos chegou a 77% na UTI e 69% nas enfermarias, com tendência de aumento a partir de 1º de novembro. Há, entretanto, diferenças entre as regiões: a Baía de Ilha Grande e o Noroeste Fluminense estavam com mais de 80% de taxa de ocupação. Nas regiões Noroeste e Metropolitana I houve redução da taxa de ocupação comparado com a semana anterior de apuração.

Na capital, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informou que a taxa de ocupação de leitos de UTI para covid-19 na rede do Sistema Único de Saúde (SUS), que inclui leitos de unidades municipais, estaduais e federais, é de 90%. A ocupação nos leitos de enfermaria atingiu 83%. Segundo a SMS, a rede municipal possui 923 leitos para covid-19, deste total, 293 são leitos de UTI.

Hospitalizações

As unidades da rede municipal estão com 649 pacientes internados, sendo 277 em UTI. Na rede SUS na capital há 1.394 pessoas internadas em leitos especializados, sendo 627 em UTI. Conforme a última atualização, 227 pessoas aguardam transferência para leitos na capital e na Baixada Fluminense, sendo 125 para leitos de UTI covid.

“As pessoas que aguardam leitos de UTI estão sendo assistidas em leitos de unidades, com monitores e respiradores”, informou a secretaria.

Edição: Lílian Beraldo

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

SAÚDE

Fiocruz recebe na quarta insumos para produzir 5,2 milhões de doses

Publicados

em


A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) confirmou hoje (20) que está prevista a chegada ao Rio de Janeiro, vindo da China, de mais uma remessa de Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) na quarta-feira (22), às 5h50, no Aeroporto do Galeão. O insumo é suficiente para a produção de 5,2 milhões de doses. A Fiocruz aguarda a confirmação das datas para a chegada de novos lotes do insumo ainda em setembro.

Em nota, ela anunciou a entrega de um novo lote com 937 mil doses de vacina contra a covid-19, produzida em parceria com a farmacêutica AstraZeneca. Do total, 50 mil doses ficaram no estado do Rio de Janeiro e as demais seguirão para o Ministério da Saúde e serão distribuídas às unidades da federação.

Com essa entrega, a Fiocruz alcança a marca de quase 97,5 milhões de doses disponibilizadas ao Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde.

Edição: Kleber Sampaio

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Covid-19: pesquisa testará presença de anticorpos em 211 mil pessoas
Continue lendo

CIDADES

PIAUÍ

POLÍCIA

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA