Menu...

17 de dezembro de 2017

Seca prejudica plantações no PI e perdas de grãos devem chegar a 900 toneladas


Hospital de Olhos

As condições climáticas adversas e a estiagem prejudicaram a safra agrícola piauiense. É o que constata estudo feito pelo Grupo de Coordenação de Estatísticas Agropecuárias do Piauí (GCEA/PI). Feijão, milho, mandioca e soja foram algumas das culturas mais afetadas. A realidade é confirmada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) que estima que a perda deve chegar ao patamar de 900 mil toneladas de grãos.

“Tudo isso devido a seca que já é tida como a pior dos últimos 50 anos. A cultura que vai sofrer mais é mesmo a do feijão. A safra piauiense deve ter perda de 47,29%. Considerando que eram esperadas 100.326 toneladas do grão, agora a expectativa é de, apenas, 52.884 toneladas”, é o que afirma o supervisor de informações do IBGE no Piauí, Pedro Soares.

A cultura de feijão, por exemplo, perdeu área de 17.670 hectares por conta da seca. A área plantada inicialmente foi de 227.645 ha e a colheita foi feita em apenas 209.96 ha. O rendimento médio da cultura de feijão foi de 252 kg/ha e a produção atingiu 52.884 toneladas – o que representa 47,29% a menos do que foi constatado pelo levantamento anterior.

A estiagem acentuada no semiárido prejudicou diretamente o milho. A condição provocou perda de 28.414 hectares, pois foram plantadas 405.711 ha e colhidos apenas 377.297 ha. O rendimento médio foi de 2.749 kg/ha e a produção deverá atingir 1.037.303 toneladas – 24,52% a menos que a estimada no início do ano.

A cultura de soja teve rendimento médio de 2.375 kg/ha, o que corresponde a 23,10% a menos que o levantamento inicial. O problema foi causado por um veranico que atingiu a região no período de desenvolvimento da cultura. A produção de toneladas colhidas em uma área de 626.799 ha será de 1.488.646.

A mandioca teve rendimento médio de 6.904 kg/ha, com produção de 198.888 toneladas – 36,62% inferior à previsão inicial. A área plantada foi de 28.808 ha.

O arroz sequeiro foi plantado em uma área de 98.507 ha, com rendimento médio de 1.230 kg/ha. As perdas na área foram de 1.86 ha e o rendimento médio também caiu, influenciado por fatores climáticos adversos. A queda na produção (que este ano foi de 121.134 toneladas) foi superior a 40% em relação à previsão inicial.

Já a cultura da cana-de-açúcar está estável, com colheita de 14.799 ha, rendimento médio de 61.693 kg/ha e produção de 913.002 toneladas.

Crescimento da colheita
O algodão herbácio vai na contramão da realidade das demais culturas. O produto foi plantado em área de 11.521 ha, teve rendimento médio de 3.905 kg/ha e produção de 44.987 toneladas – 6% a mais que o acompanhamento anterior.

De acordo com o levantamento, o crescimento se deve ao fato de o algodão ser plantado concentradamente nos Cerrados, região beneficiada pelas altas tecnologias. Do total cultivado no Estado do Piauí a região dos cerrados nesta safra já participa com 134.126 ha e uma produção de 931.243 toneladas.

Fonte: Cidade Verde


Tags: , , ,

Comente aqui

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE