Menu...

Última Notícia

13 de dezembro de 2017

IBGE: com 35,77%, São Francisco do MA tem um dos maiores índices de analfabetismo no Estado


Hospital de Olhos

Durante os dias 8 a 12 de Junho foi realizada a formação inicial dos educadores e educadoras do Projeto MOVA-Brasil. A formação aconteceu no Hotel Fazenda Portal da Amazônia, km 19, BR 316, que fica localizado no Povoado Batalha, zona rural de Timon, Maranhão.

O encontro foi iniciado por volta das 8h, e contou com a participação de mais de 50 pessoas, onde foram discutidas questões, como: o que é o Projeto MOVA-Brasil, os seus objetivos e metas, a sua metodologia, como também, como se deu a articulação política das turmas e a consolidação do MAB na região.

O Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) chega à 7ª etapa no trabalho de alfabetização a moradores que serão atingidos por construção de barragens no Brasil. Desta vez, a ação contempla os municípios de Parnarama, Timon, Matões e São Francisco do Maranhão.

A iniciativa do projeto é do Instituto Paulo Freire (IPF) por meio de uma parceria com a Petrobras. A inclusão do estado maranhense ao “Movimento de Alfabetização de Jovens e Adultos” se deu em 2014. Configuram-se também como parceiros a Federação Única dos Petroleiros (FUP) e o Ministério da Educação (MEC).

O Maranhão é um dos estados que apresenta um dos maiores índices de analfabetismo. Segundo o IBGE (2013), cerca de 20,84% da população maior de 15 anos é analfabeta, é também um dos estados mais desiguais do Brasil.

Nesta 7ª etapa, houve um aumento no número das turmas, são 45 turmas distribuídas nos Municípios de Timon, Parnarama, Matões e São Francisco do Maranhão, que ficam localizados na região do médio Parnaíba e que, portanto, serão atingidos direta ou indiretamente com a construção de projetos hidrelétricos. São Francisco é um destes municípios ameaçados com a construção das Barragens Estreito e Castelhano, que atingirá cerca de 3 mil famílias, entre elas ribeirinhas, meeiras, assentadas, comunidades quilombolas e extrativistas.

Nos municípios citados, o índice de analfabetismo é altíssimo, sendo que, das 4 cidades atendidas, 3 delas, Parnarama, Matões e São Francisco, estão entre as 20 cidades do Maranhão que apresentam maior número de analfabetas (os): São Francisco com 35,77%, Parnarama 34,62%, Matões 35,40% e Timon 16,05%.

“São regiões conhecidas tanto pela demanda de analfabetas (os), como também pela precariedade nas políticas públicas. Comunidades onde ainda não há energia ou quando há é de péssima qualidade e serve só para o consumo doméstico. São regiões de muito potencial produtivo, porém, não há investimento por parte do poder público”, ressalta Dalila Calisto, assistente pedagógica do Projeto e militante do MAB.

Fonte: MAB

Tags:

Comente aqui

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE