AMARANTE

PIAUÍ

Jucepi participa de capacitação para prevenção à lavagem de dinheiro

Avatar

Publicado em

PIAUÍ


A presidente da Junta Comercial do Estado do Piauí (Jucepi), Alzenir Porto, participou, nessa quarta-feira (28), de capacitação para prevenção à lavagem de dinheiro e financiamento do terrorismo pelo Departamento Na​cional de Registro Empresarial e Integração (Drei), em parceria com o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) e a Federação Nacional das Juntas Comerciais (Fenaju).

Na abertura, Alzenir Porto, que também preside a Fenaju, agradeceu a parceria com o Drei e todos os órgãos que trabalham com o registro mercantil. “É de grande importância esse espaço para discutir políticas que venham a contribuir, seja em relação ao Coaf ou a outros temas, no combate à lavagem de dinheiro no que tange ao que passa pelas juntas comerciais “, afirmou a presidente.

Presidente da Jucepi e da Fenaju, Alzenir Porto, reforça a importância da parceria com o Drei e Coaf na prevenção à lavagem de dinheiro no âmbito das juntas comerciais.

A capacitação foi realizada de forma online e contou com a participação de analistas de registro mercantil e vogais da Jucepi e de outras juntas comerciais. No evento, o Drei apresentou como identificar eventuais comunicações acerca de potenciais indícios de lavagem de dinheiro ou financiamento ao terrorismo.

Leia Também:  UESPI divulga lista por ordem de classificação para preenchimento das vagas remanescentes do SISU

As normas gerais sobre as obrigações das juntas comerciais relativas à prevenção de atividades de lavagem de dinheiro, ou a ela relacionadas, e ao financiamento ao terrorismo estão dispostas na lei nº 9.613, de 1998; e as relativas ao cumprimento de determinações do Conselho de Segurança das Nações Unidas acerca da indisponibilidade de ativos na lei nº 13.810, de 2019.

Fonte: Governo PI

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

PIAUÍ

Ceir vai sediar bazar com produtos apreendidos pela Receita Federal a partir de segunda (17)

Avatar

Publicados

em


Na próxima segunda-feira (17), será realizada mais uma edição do Bazar Leão Amigo, com mercadorias apreendidas pela Receita Federal. O evento será realizado no auditório do Centro Integrado de Reabilitação (Ceir), na Avenida Higino Cunha, 1515, bairro Ilhotas, em Teresina.

Neste ano, o evento, que comercializará mais de 40 mil produtos, ocorrerá nos dias 17, 18, 19, 20 e 21 de maio. Por causa da pandemia, estão sendo implementadas novas medidas de segurança, como o agendamento obrigatório para acesso ao bazar. A medida visa a garantir o distanciamento e barrar a disseminação do coronavírus.

O link de agendamento para a participação no primeiro dia de bazar será disponibilizado 72 horas antes do evento, no dia 14 de maio, a partir das 8 horas, e poderá será ser acessado nos sites da Associação Reabilitar (www.reabilitar.org.br); da Ação Social Esperantinense (Asesp) (paroquiadeesperantina.org.br) e da Associação para o Bem-Estar do Menor Carente de Esperantina (Amare) (amarebrasil.org.br).

Já para participação nos dias seguintes, o agendamento poderá ser feito em até 24h antes da data desejada, da seguinte forma:

Acesso ao 1º dia: agendamento será liberado: 14/05, às 8h;

Acesso ao 2º dia: agendamento será liberado em 17/05, às 8h;

Acesso ao 3º dia: agendamento será liberado em 18/05, às 8h;

Acesso ao 4º dia: agendamento será liberado em 19/05, às 8h;

Acesso ao 5º dia: agendamento será liberado em 20/05, às 8h.

Leia Também:  Servidores estaduais terão até três meses de carência em empréstimo consignado

Cada CPF terá direito a dois agendamentos e em dias distintos. O pagamento da pulseira de acesso deverá ser efetuado, obrigatoriamente, em espécie, na entrada do bazar e terá o valor de R$ 10. Quem não se apresentar no dia e na hora marcados não poderá mais entrar no bazar, exceto se realizar um novo agendamento.

A Delegacia da Receita Federal do Brasil em Teresina ressaltou a importância dessa ação de destinação de mercadorias apreendidas às entidades assistenciais. “Além de beneficiar diversas entidades filantrópicas com trabalhos relevantes no estado do Piauí, nessa ação fazemos a destinação adequada das mercadorias apreendidas com total transparência na prestação de contas à sociedade”, afirma o delegado da DRF/Teresina, auditor fiscal André Santos

Brinquedos, materiais escolares, roupas, itens de cama, mesa e banho, eletrônicos, perfumes, itens de maquiagem e até drones estão entre os produtos que serão disponibilizados. Os produtos apreendidos pela Receita Federal foram doados para o bazar e a expectativa é que o valor arrecadado com as vendas seja revertido em adequações no Ceir e apoio às ações da Ação Social Esperantinense, ONG ligada à Igreja Católica de Esperantina, e pela Associação para o Bem-Estar do Menor Carente de Esperantina.

“Ter esse bazar conosco, enquanto instituições do Terceiro Setor, é muito benéfico, pois vai agregar muito no nosso projeto que se chama Meu Mundo Encantado e o bazar vem para realmente encantar o nosso mundo. Possibilitando novas estratégias de atendimento às crianças e adolescentes de Esperantina”, destaca Lysmara Pinheiro, representante da Asesp.

Leia Também:  Suspeito de matar médica em THE morre momentos depois do crime em grave acidente na BR-316

Como participar do bazar?

Entre as regras de participação está a necessidade de agendamento para participar do evento. Os organizadores garantem todos os protocolos de segurança estabelecidos pelos órgãos sanitários competentes, com controle de temperatura corporal, exigindo uso obrigatório de máscara, distanciamento mínimo e disponibilizando álcool em gel e pia para lavagem das mãos com água e sabão. Os portões serão abertos às 8h e fechados às 17h.

As formas de pagamentos serão em dinheiro, cartão de débito e cartão de crédito – sendo a parcela mínima de R$ 50, em até 3 vezes, nas bandeiras Visa, Master, Elo, Diners, American, Hipercard e Credishop. O valor máximo para compra é R$ 2 mil, por pessoa física, sendo obrigatória a apresentação de CPF e documento oficial com foto.

Não será permitida a entrada de pessoas com sacolas, bolsas, mochilas e capacetes e o estacionamento do Ceir será restrito à organização do bazar. Os produtos não podem ser trocados, testados e não têm garantia e a Associação Reabilitar não se responsabiliza pelos produtos vendidos.

O bazar é fruto do Projeto Leão Amigo, apresentado pela Associação Reabilitar, entidade social que administra o Ceir, e as ONGs Amare e Asesp.

Fonte: Governo PI

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

PIAUÍ

POLÍCIA

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA