AMARANTE

Piauí

Instituto de Doenças Tropicais Natan Portella completa 48 anos de funcionamento

Publicado em

Piauí


O Instituto de Doenças Tropicais Natan Portella (IDTNP) é uma unidade de referência no Piauí durante a pandemia de Covid-19 e, nesta semana, completa 48 anos de funcionamento, levando uma assistência médica de qualidade para toda a população que necessitou dos seus serviços. No entanto, o trabalho de qualidade desempenhado relacionado a doenças infecciosas pela equipe de profissionais do hospital demonstra sua capacidade resolutiva desde sua fundação.

Com toda sua estrutura concluída no ano de 1973, a unidade começou a atuar pela saúde dos piauienses no ano seguinte, quando uma grande epidemia de meningite dentro do estado trouxe a necessidade de um espaço especializado para atendimento da população. A partir desse momento, começa a funcionar como Hospital de Doenças Infecto Contagiosas (HDIC).

Em fevereiro de 2000, a Lei Estadual N°5.122 alterou a denominação do HDIC, que passou a ser denominado Instituto de Doenças Tropicais Natan Portella. O médico infectologista e atual diretor da unidade, José Noronha, destaca o papel fundamental do IDTNP em diversos momentos. “Desde sua fundação, cada vez mais, a unidade se destacava no atendimento à população em momentos de crise. HIV, H1N1 e, mais recentemente, a Covid-19 são alguns dos momentos que o instituto vem demonstrando toda sua essencialidade para a saúde do Piauí. É preciso destacar ainda que sempre tivemos um suporte para a população mais frágil, mostrando qualidade de atendimento acolhedor para pessoas com doenças estigmatizantes”, apontou.

Leia Também:  Jovem morre ao tocar em paredão de som

A diretora técnica e médica infectologista, Elna Amaral, destaca que, por ter um perfil de lidar com doenças infecciosas e de contagio bastante elevado, o IDTNP sempre teve um grande cuidado, tanto no gerenciamento dos pacientes, assim como no acolhimento. “Além de todo um preparo estrutural para garantir uma estadia de qualidade para os pacientes, o hospital também sempre teve um olhar para a assistência psicológica, efetuando esse serviço com qualidade, tanto para os pacientes, como também para a equipe de profissionais da unidade, garantindo um acompanhamento sobre todas as situações”, destaca.

Durante a pandemia, o hospital conta com 75 leitos em funcionamento sendo 27 de UTI. “Com a finalização das obras de ampliação que a unidade está recebendo, teremos 103 leitos. Destes, serão 30 leitos de terapia intensiva, sendo 20 deles da primeira unidade respiratória do Piauí, que terá foco em atender a população em situações como essa de epidemias de doenças respiratórias, onde precisamos de um espaço com mais segurança para pacientes; familiares e profissionais”, antecipa José Noronha.

Leia Também:  DPE irá lançar aplicativo e-Defensor para facilitar comunicação com público assistido

O secretário de Estado da Saúde Florentino Neto, aponta que, por 48 anos, o instituto vem fazendo um trabalho de excelência trazendo cuidados para a saúde do povo piauiense e que, agora na pandemia, qualquer um pode perceber a importância do trabalho desempenhado pelo hospital. “O Natan Portella é referência  do estado nesta pandemia e temos a convicção que o trabalho desempenhado pela unidade é um dos principais responsáveis pelos bons resultados do estado no tratamento de casos de Covid-19. Agradecemos a todos que fazem e fizeram parte da historia do hospital e temos a certeza que a saúde pública do Piauí não seria  a mesma sem os esforços de cada um”, declarou o gestor.

Para celebrar os 48 anos da unidade, na manhã desta quarta-feira (4), será realizado um momento junto dos trabalhadores do hospital para agradecer aos serviços prestados pela unidade em suas quase cinco décadas dedicadas à saúde pública do estado do Piauí.

Fonte: Ascom Sesapi
Fonte: Governo PI

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Piauí

Municípios comemoram avanço do Piauí Cidades Inteligentes

Publicados

em


O Piauí caminha para uma realidade que já é sucesso em 130 cidades de 22 estados do Brasil. O projeto de Cidades Inteligentes une serviços como iluminação pública, conexão à internet que vão proporcionar uma melhor qualidade de vida para a população. “É com muita alegria em implantar esta inovação em nossa gestão, pois vai trazer inúmeros benefícios para o nosso povo”, explica Felipe Dias, prefeito de Cristino Castro.

Felipe destaca as parcerias como uma grande oportunidade. “Em Cristino Castro vamos atrair investimentos através do setor privado com empresas especializadas. Vamos traçar metas de um serviço eficiente. Quem ganha é a população”, acrescenta.

Assim como Cristino Castro, ao sul do Piauí, a cidade de Barras, que fica ao Norte do Estado, também já finalizou a entrega da documentação preliminar para o avanço dos estudos, que acontecem em parceria com o Instituto de Planejamento e Gestão de Cidades (IPGC). Ao todo, 11 municípios integram o Cidades Inteligentes no Estado.

Viviane Moura é superintendente da Suparc-PI

Viviane Moura visitou cidades do Piauí que recebem o projeto.

Em Barras, a população e a gestão aguardam por benefícios como a iluminação em LED, por exemplo. “Aderimos ao chamamento da Suparc para participar do programa de interiorização das parcerias público-privadas. Estamos em estágio avançado, com a validação dos dados para a construção dos projetos. A expectativa é que mais municípios piauienses possam aderir ao programa, para que todo o Piauí possa contribuir para um melhor desenvolvimento. A Câmara vai aprovar e vamos selar esse benefício”, explica Ananias Araújo, secretário municipal de meio ambiente do município.

Leia Também:  Piauí recebe novas doses da CoronaVac e inicia vacinação de pessoas com deficiência no domingo (21)

A PPP de Cidades Inteligentes do Governo do Estado do Piauí resolve gargalos importantes. “Passamos em várias cidades em uma verdadeira caravana. Esse trabalho foi intenso, mas valeu a pena. Vamos melhorar diversos serviços que vão, de fato, transformar o Estado de dentro para fora, interiorizando projetos de PPP”, avalia Viviane Moura, superintendente da Superintendência de Parcerias Públicas-Privadas e Concessões do Piauí (Suparc-PI).

A ideia é multiplicar casos de sucesso, como em Carmo de Cajuru, em Minas Gerais. O município de 24 mil habitantes que, a partir de uma PPP, integrou três serviços em um único contrato. Ou em Ouro Preto, cidade histórica, onde o moderno encontrou a tradicional arte mineira. O projeto permite desburocratizar processos e dar agilidade à transformação na vida da população.

Fonte: Suparc-PI
Fonte: Governo PI

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

PIAUÍ

POLÍCIA

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA