AMARANTE

SAÚDE

Idosos a partir de 67 anos serão vacinados em 14 de abril em SP

Avatar

Publicado em

SAÚDE


Idosos com 67 anos de idade e que vivem no estado de São Paulo vão ser vacinados contra a covid-19 a partir do dia 14 de abril. Já os idosos do estado com idade de 65 anos e 66 anos vão ser vacinados a partir do dia 21 de abril. A informação foi dada hoje (7) pelo governo paulista.

A expectativa do governo é vacinar 350 mil pessoas com 67 anos e outras 760 mil pessoas com idades entre 65 e 66 anos.

A campanha de vacinação contra a covid-19 teve início no dia 17 de janeiro em São Paulo, com a aplicação de doses em profissionais da área da saúde, indígenas e quilombolas. No início de fevereiro, as doses começaram a ser aplicadas em idosos. Esta semana, teve início a vacinação de agentes de segurança pública e, no dia 12 de abril, começa a vacinação de professores com idade acima de 47 anos. Segundo o Vacinômetro, mais de 7 milhões de doses da vacina já foram aplicadas no estado, sendo mais de 1,8 milhão delas em segunda dose.

Leia Também:  São Paulo retorna a fases mais restritivas de plano contra a covid-19

Pré-cadastro

Para ser atendido mais rapidamente, o governo recomenda fazer o pré-cadastro no site Vacina Já, que diminui o tempo de espera no momento da vacinação. O pré-cadastro não é obrigatório, e os cidadãos que não puderem preenchê-lo poderão se vacinar normalmente, informando seus dados presencialmente no momento da vacinação.

Veja o calendário de vacinação

GRÁFICO COM VACINAÇÃO EM SPGRÁFICO COM VACINAÇÃO EM SP

Vacinação em SP – Divulgação/Governo de São Paulo

Edição: Fernando Fraga

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

SAÚDE

Butantan reforçará dados sobre aplicação de vacina para evitar perdas

Avatar

Publicados

em


O Instituto Butantan vai reforçar as informações sobre a aplicação da vacina CoronaVac contra a pandemia de covid-19. Segundo o instituto, foi constatado que a prática incorreta na extração das doses das ampolas resulta na perda de doses em alguns postos de aplicação.

“Todas as notificações recebidas pelo instituto até o momento relatando suposto rendimento menor das ampolas foram devidamente investigadas, e identificou-se, em todos os casos, prática incorreta na extração das doses nos serviços de vacinação. Portanto, não se trata de falha nos processos de produção ou liberação dos lotes pelo Butantan”, ressalta nota divulgada pelo instituto.

Ampolas teriam menos doses

Em reunião realizada na semana passada pelo Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Goiás, várias cidades relataram que ampolas de CoronaVac teriam menos doses do que as dez doses informadas pelo Butantan.

Ainda segundo o instituto, cada frasco tem 10 doses de 0,5 mililitro cada, totalizando 5 ml. Porém, é envasado um conteúdo extra de aproximadamente 0,7 ml, o que possibilita uma margem para as aplicações das 10 doses. Por isso, o instituto vai revisar a bula da CoronaVac, de maneira a deixar mais claras as informações sobre a extração do líquido dos frascos e adicionar um QRCode com um vídeo demonstrativo do procedimento.

Leia Também:  Brasil acumula mais de 10 milhões de casos de covid-19

O Butantan informou, ainda, que seringas com volume maior do que o necessário podem dificultar a visualização da quantidade de vacina por não terem todas as gradações necessárias. É preciso ainda que os profissionais estejam atentos à posição correta da seringa na ampola, finalizou o instituto.

Edição: Kleber Sampaio

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

PIAUÍ

POLÍCIA

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA