Menu...

17 de dezembro de 2017

Poeta Osiel Medeiros lança em dezembro, em São Paulo, o sexto livro de autoajuda


Hospital de Olhos

“Eu não sou poeta, sou aprendiz! Tento fazer de palavras simples poesias, pois todo caminho é traçado na mente e passo a passo é concluído”, escreveu o poeta  Osiel Medeiros com a singeleza das inspirações numa breve tradução do seu ser, da sua forma de viver e de conviver com as palavras.

A reflexão está no livro ‘Eu não sou poeta, sou aprendiz!’, lançado por ele em 2014. A obra traz consigo mensagens de autoajuda sob o olhar poético do autor, que, além de inserir passagens bíblicas, exalta a Deus como o centro da vida.

Na obra, Osiel enfatiza os conflitos da natureza humana, assim como os contrastes dos tempos modernos com a vida espiritual do homem, além de enfatizar suas próprias experiências.

Em 2010, Osiel Medeiros lançou o seu primeiro livro ‘Poesia e inspiração de uma vida’, que, segundo ele, nasceu da sugestão de uma colega de faculdade em 2008.

“Na realidade, eu escrevo poesias, versos e poemas desde criança. Em 2008, na faculdade, uma amiga leu um poema e me perguntou quem o havia feito. Disse a ela que eu tinha sido o autor. Fui questionado se nunca tinha pensado em escrever um livro! Assim, decidi produzir e lançar minha primeira obra em 2010, “Poesia e inspiração de uma vida”, falou Osiel ao SOMOS NOTÍCIA.

O autor considera que o lado motivacional das suas obras está apenas no reflexo das suas poesias. “As minhas obras não são livros exclusivamente motivacionais. A poesia em si é motivacional porque carrega o sentimento, minhas obras são mesmo de autoajuda.”

Em 2013, o poeta lançou a obra ‘Você é a peça chave do SUCESSO!’ onde afirma que “as mensagens são do dia a dia” com relatos, histórias e experiências próprias. Osiel diz que “o êxito da vida não está na grandiosidade do que se faz, mas na grandeza do servir ao próximo”.

“As pessoas não se enxergam porque esquecem de aplicar para si as palavras foco, força e fé. Em tudo o que formos realizar, temos que ser apaixonados. Para ter êxito no convívio com as pessoas temos que ter também perdão, amor e gratidão”, disse ele.

Ainda em entrevista ao SOMOS NOTÍCIA, ele mencionou a ganância do homem moderno como o que mais lhe incomoda. O assunto é também tratado em suas obras. “A ganância do homem é o que mais me incomoda. Consequentemente o povo sofre com a fome que devasta milhões de pessoas em pleno século XXI.”

Graduado em processos gerenciais, Osiel possui PHD e está aprofundando os conhecimentos em PNL. Atualmente exerce a função de supervisor de produção na área de embalagem flexíveis, em São Paulo. Casado, o poeta reside em São Paulo, e é pai de quatro filhos e avô de duas crianças.

O eu lírico do poeta fala também da presença do amor no homem. Em curtos versos, ele traz na obra ‘Eu não sou um poeta, sou um aprendiz!’ a expressão do sentimento mais profundo.

VAGO NO AR

“Sinto o seu cheiro doce vago no ar,
que me seduz por completo bem devagar,
amor que penetra no coração sem forçar, sem nada falar.

Me prende com seu olhar,
estanca a dor que me está a sangrar
às vezes me questiono, não sei se sei amar.

Não consigo desse seu jeito ficar, choro sem demonstrar,
corro desesperado, e nem deixo notar,
por dentro fico gritando, sem parar.”
[…]

TUDO VEM
Vou dizer pra quem quiser ou não ouvir,
eu amo esta mulher,
que veio pro meu mundo fazer sorrir.

Faz parte de mim é você quem me faz,
e torna vivo o sonho que me mantém,
que me dá paz também

Sou egoísta!
Amor não vou te dividir com ninguém,
É teu aorque me fa alguém,
És como na oração o amém.
[…]

Sou todo teu, deste todo pode se servir,
sabes que um ótimo sabor vai usufruir,
um ao outro podemos usufruir,
até no amor pode fingir, pra nunca ter fim.

Osiel Medeiros considera que é poeta, e não escritor. “Eu sou poeta. O escritor é construído. O poeta, nasce poeta”.

Em seus livros, ele trata de questões sociais, afetivas, espirituais, dentre outras. Mas, dentre os assuntos dos quais nunca escreveria, o poeta cita que “jamais falaria ou escreveria algo contrário à lei de Deus”.

Para ele, não há guerra maior que o conflito do ‘eu comigo’. “O conflito interno é a maior guerra, é a maior batalha que vivemos constantemente. Como já disse, a voz interna fala que você é incapaz, e quando você deixa isso sair do pensamento, naturalmente te enfraquece. Você perde a batalha e, muitas vezes, a guerra”, encerra.

Ainda em construção, a sua sexta obra, que será intitulada ‘Só uma letra da poesia’, terá textos bíblicos, cuja finalização está prevista para agosto deste ano para provável publicação, em dezembro.

Obras do poeta Osiel Medeiros | São Paulo


Tags:

Comente aqui

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE