AMARANTE

GERAL

Funarj distribui mais de R$ 500 mil para apoio ao setor cultural

Avatar

Publicado em

GERAL


O governo do estado do Rio de Janeiro, por meio da Fundação Anita Mantuano de Artes (Funarj), abriu inscrições hoje (4) para três novos editais voltados para o setor cultural, que vão distribuir aos vencedores mais de R$ 500 mil. 

Em entrevista à Agência Brasil, o presidente da fundação, José Roberto Gifford, disse que, desde o ano passado, com o começo da pandemia, cresceu a preocupação do órgão com o setor cultural, que considera “muito sofrido”. Em 2020, a Funarj lançou a primeira edição do edital Ondas da Cultura que premiou trabalhos inéditos dos segmentos de artes cênicas, música e dança, apresentados no Teatro João Caetano, no Rio. Foi feito também um protocolo de segurança sanitária para os teatros, o que permitiu que os equipamentos ficassem seguros.

“Os nossos teatros foram adaptados, têm aquele filtro absoluto e estão muito seguros. Com esse protocolo, abrimos os nossos teatros com lotação de um terço do que seria o normal” disse. Acrescentou que o auxílio emergencial concedido pelo governo federal é muito importante. Salientou, no entanto, que “o trabalho é importante. As pessoas começarem a produzir e a atuar também é importante. Então, começamos a pensar nesses editais. Fizemos um edital de montagem teatral, um de curtas metragens e outro de música ao vivo para levar música ao vivo aos teatros”.

Leia Também:  TV Brasil aumenta em quase 300% presença do jornalismo na programação

Prêmios

Agora, a Funarj está lançando três editais. O Prêmio Funarj/Roquette Pinto de Esquetes 2021 é o primeiro do gênero, depois de quase 90 anos, disse Gifford. A premiação foi elaborada em conjunto com a Rádio Roquette Pinto e objetiva que as pessoas possam atuar e dar conteúdo para rádio, além de propiciar a descoberta de novos talentos. O edital vai selecionar 20 esquetes, com duração de três a cinco minutos. Cada um receberá prêmio de R$ 2 mil. Os esquetes vencedores serão veiculados na Rádio Roquette Pinto no segundo semestre deste ano.

A segunda edição do edital Ondas da Cultura vai premiar 80 pessoas com até R$ 200 mil. O edital envolve trabalhos artísticos inéditos que serão gravados em vídeo por profissionais dos segmentos de artes cênicas, música e dança. Os selecionados serão exibidos no canal da Funarj no YouTube.

Já o Prêmio Funarj de Clipes Musicais distribuirá R$ 25 mil para cada um dos 12 projetos vencedores de videoclips. Os selecionados terão seis meses para elaborar o clip e entregar à Funarj. A exibição dos premiados acontecerá em um festival de clipes musicais no Teatro João Caetano, previsto para o início de 2022.

Leia Também:  Estudo reitera escassez hídrica severa no Brasil

Trabalho

O presidente da Funarj destacou, ainda, que os editais são, na verdade, parte de um programa que pretende amenizar o sofrimento da área cultural.

“Para que as pessoas saibam, de alguma forma, que elas têm condições de trabalhar, que elas podem trabalhar e vão ter onde mostrar aquilo que fizeram e que têm condições de fazer. Essa é uma preocupação da Funarj, do governador do estado [Cláudio Castro] que é, inclusive, um homem da cultura. Essa é a mensagem: as pessoas precisam trabalhar, mesmo na pandemia”.

Os vencedores serão divulgados dentro de 45 dias, a partir de hoje, data de publicação dos editais. 

Edição: Kleber Sampaio

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

GERAL

Governadores pedem a Anvisa nova análise da Sputnik V

Avatar

Publicados

em


A diretora da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) Meiruze Freitas minimizou hoje (7), em Brasília, o conflito entre a agência e governadores de estados que já adquiriram mais de 66 milhões de doses da vacina Sputnik V, produzida pelo Instituto Gamaleya, da Rússia. No dia 26 de abril,  a Anvisa negou a autorização para a importação e o uso emergencial do imunizante russo.

“A Anvisa está sempre aberta ao diálogo. Ainda há processos em discussão, inclusive, com os importadores”, disse Meiruze em audiência pública da Comissão Temporária da Covid-19 do Senado, que debateu a aquisição de vacinas pelo Brasil.

Aos senadores, o relator da matéria sobre a importação da Sputnik V na Anvisa, Alex Campos, lembrou que a agência trabalha com modalidade regulatória excepcional para vacinas com um rito mais acelerado. 

Apesar disso, especificamente sobre o imunizante russo, Campos destacou que não foi apresentado relatório técnico da vacina à Anvisa, que notificou todos os importadores, enviando expediente para 62 países que aprovaram o uso emergencial da Sputnik para saber os motivos das aprovações. A garantia da eficácia, segurança e qualidade, indispensáveis ao processo, também não foi  apresentada à agência.

Leia Também:  A irrigação e o meio ambiente

Governadores

Durante a audiência, o representante do Consórcio Nordeste e governador do Piauí, Wellington Dias, atribuiu o não cumprimento do plano estratégico de vacinação, elaborado pelos estados em 2020, a não aprovação do imunizante pela agência. O plano previa que, em 30 de abril deste ano, pelo menos 25% da população brasileira estariam vacinados.

“Estou aqui tratando, em nome das 27 unidades da Federação. Nós trabalhamos um plano estratégico, e o fato é que o plano furou. E quando um plano fura, ele tem efeitos. No caso do Brasil, uma tragédia”, disse.

Novo pedido

Também convidado para a discussão, o representante da União Química, Fernando Marques, responsável pelo imunizante russo no país  e por enviar os dados de eficácia e segurança da vacina para a Anvisa, disse que a farmacêutica vai apresentar um novo pedido para uso emergencial de mais dez milhões de doses da Sputnik V. 

“Já que não perdemos esses dez milhões [de doses] que não pudemos importar no primeiro trimestre, conseguimos dez milhões com o governo russo embarcando de lá. Ao mesmo tempo, o nosso processo industrial está caminhando. Os nossos técnicos estiveram em Moscou, os técnicos russos estiveram aqui, tivemos reuniões no Ministério da Saúde com os executivos russos, lá com o Programa Nacional de Imunização (PIN), eles esclareceram, fizeram as exposições, e nós demos seguimento ao nosso processo industrial, com vistas a cumprir o nosso contrato com o fundo soberano russo de produção da vacina para o Brasil e para demais países da América Latina” afirmou.

Leia Também:  Restrições não impedem movimentação em praias do Rio

Edição: Kleber Sampaio

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

PIAUÍ

POLÍCIA

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA