3:11 pm - quinta-feira novembro 24, 1808

Danos morais: Playboy vai pagar R$ 330 mil à atriz Camila Pitanga

Edição e postagem: Denison Duarte, em 02-07-2015 23:30 | Última modificação: 02-07-2015 23:38
Hospital de Olhos

A revista Playboy foi condenada a indenizar as atrizes Camila Pitanga e Nathalia Dill em R$ 330 mil e R$ 70 mil reais, respectivamente. De acordo com o advogado da dupla, Ricardo Brajterman, a revista reproduziu fotos de cenas das atrizes nuas retiradas dos filmes “Eu receberia as piores notícias de seus lindos lábios” e “Paraísos Artificiais”. As fotos estamparam páginas internas da revista além de uma chamada de capa na edição de dezembro de 2012.

“A revista colocou uma chamada em destaque na capa e a manchete dizia: ‘Sexo no cinema e na TV, cenas muito quentes de Nathalia Dill, Camila Pitanga, Juliana Paes e Alessandra Negrini’. Dentro da revista tinha uma matérias de várias páginas, com atrizes em cenas de novelas e seriados, usando uma foto da Nathalia Dill em ‘Paraísos artificiais’. E da Camila foram três fotos do filme ‘Eu receberia as piores notícias de seus lindos lábios'”, contou Ricardo Brajterman ao EGO.

O processo de Camila Pitanga correu na 1ª Vara Cível do Rio de Janeiro. Já o de Nathalia, na 44ª vara cível. De acordo com o advogado, Alessandra Negrini e Juliana Paes também tiveram suas fotos expostas, mas não chegaram a entrar na Justiça.

“A ‘Playboy’ fez o que ela tanto repudia, que é a pirataria. É lamentável que a revista, que vem sofrendo com a pornografia de forma gratuita na internet, tenha feito exatamente o mesmo ao pegar uma imagem sem autorização prévia ou remuneração e justamente de duas atrizes que até a presente data se manifestaram que nunca irão posar em uma revista masculina. As imagens do nu no filme passam em frações de segundos de forma quase que imperceptível e dentro de um contexto”, disse o advogado das atrizes, que pretende recorrer para que a indenização por parte da revista seja ainda maior.

“Vou recorrer para aumentar porque não é a primeira vez que a ‘Playboy’ é condenada por essa atitude e os valores fixados nas punições anterioes não serviram de desestimulo para que a revista continue agindo dessa maneira. A gente acredita que só uma condenação mais alta possa impedir que novas fotos sem autorização sejam publicadas”.

Playboy vai recorrer
O EGO também conversou com o advogado da revista ‘Playboy’, Alexandre Fidalgo, que discorda da versão de Ricardo Brajterman e afirma que a empresa vai recorrer da decisão da justiça.

“O que nós defendemos é que não houve nenhuma irregularidade publicada pela ‘Playboy’. Foi um conteúdo jornalístico, uma crÍtica a respeito do trabalho artístico que as atrizes faziam em determinados filmes, o que é absolutamente coerente com a prooosta da liberdade da expressão. Vamos recorrer da decisão”, disse Fidalgo.

Fonte: Ego

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE