3:11 pm - quinta-feira novembro 24, 7216

Fluminense explora nervosismo do Paysandu e avança na Copa do Brasil

Edição e postagem: Denison Duarte, em 26-08-2015 23:27 | Última modificação: 26-08-2015 23:27
Hospital de Olhos

Yago Pikachu voltou a deixar sua marca, mas não foi o suficiente para o Paysandu. O Fluminense explorou o nervosismo do adversário, buscou os contra-ataques e venceu no Mangueirão, por 2 a 1, avançando para as quartas de final da Copa do Brasil. Na ida, em jogo muito disputado, o Fluminense venceu com gol nos últimos instantes, também por 2 a 1.

O placar agregado ficou em 4 a 2. O adversário das quartas será definido por sorteio. Nervosismo marca o primeiro tempo O resultado no Rio não foi considerado ruim para o Paysandu. Afinal, um gol bastaria para avançar para as quartas de final. Mas a motivação inicial, com o apoio em massa da torcida, deu lugar a ansiedade, e o Papão passou a errar demais. Bom para o Fluminense, preparado para jogar no erro do rival.

Aos 15 minutos, Marcos Júnior brigou pela bola na esquerda e abriu para Victor Oliveira. O lateral improvisado cruzou na medida para Cícero fazer mais um gol de cabeça pelo Fluminense. O gol aumentou ainda mais o nervosismo do Paysandu, que foi ao ataque de forma desorganizada.

Espaços não faltaram para os contra-ataques do Tricolor, principalmente pelo lado esquerdo, com Gustavo Scarpa. Mas quando o jogo parecia seguir no ritmo desejado pelos visitantes, um erro comprometeu tudo. Aos 39 minutos, Victor Oliveira disputou de forma atabalhoada a bola com Aylon, que percebeu o choque e cavou o pênalti. Yago Pikachu, que já havia marcado, de falta, na ida, bateu a penalidade e empatou o placar. Contra-ataque encerra esperanças do Papão O segundo tempo, como era esperado, começou com o Paysandu no ataque. Por pouco a virada do time da casa não aconteceu no primeiro ataque organizado, no segundo minuto, com cruzamento de Misael para leve desvio de Aylon, enviando ao lado do gol.

O Fluminense manteve a mesma postura, postado na defesa, explorando o nervosismo do adversário. Assustou também no primeiro ataque, em cobrança de falta para a área, com Edson completando de cabeça para fora. Aos oito minutos, o contra-ataque tricolor encaixou mais uma vez. Cícero lançou Scarpa, que tocou para Magno Alves na área. De primeira, o atacante deixou para Marcos Júnior, que por sua vez tocou para a rede. Agora, o Paysandu precisava de três gols para virar a eliminatória. A missão ficou impossível. Pior ainda quando Betinho foi expulso por cotovelada em Edson.

O jogo ficou paralisado por oito minutos e o volante do Fluminense deixou o campo de ambulância, minimizando a festa tricolor.

Fonte: OGOL

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE