AMARANTE

GERAL

Embrapii seleciona institutos brasileiros para investir R$ 120 milhões

Avatar

Publicado em

GERAL


A Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) lançou uma chamada pública para selecionar dois institutos de pesquisa brasileiros que poderão receber, no período de cinco anos, investimentos de até R$ 60 milhões, cada um, para se tornarem centros de competência em hardware (chamados de CCH) para a indústria nacional. 

Segundo a Embrapii, o chamamento público, realizado ontem (3), será detalhado no próximo dia 14. No dia 19, será realizada uma live, em horário e canal a ser divulgado no site da Embrapii, para a apresentação dos termos e requisitos da chamada.

De acordo com a Embrapii, a proposta é gerar conhecimento interno no Brasil, ampliando os conhecimentos em plataformas de IoT – Internet das Coisas. “As plataformas de IoT são uma área high tech e estratégica para o crescimento econômico do país. Assim, aproveitar as oportunidades que são abertas para os novos produtos e serviços é crucial para promover a competitividade da indústria”, destacou o diretor-presidente da Embrapii, Jorge Guimarães.

No primeiro ano, os selecionados poderão requisitar até R$ 40 milhões. Os recursos devem ser utilizados na capacitação de pesquisadores e no desenvolvimento de pesquisas que permitam o avanço do conhecimento em futuras soluções tecnológicas para a indústria. 

Leia Também:  Restaurante que concedia descontos para quem rezasse antes de comer as refeições é obrigado a retirar promoção

A Embrapii é uma Organização Social (OS) que tem contrato de gestão com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, Ministério da Educação e Ministério da Saúde.

Edição: Claudia Felczak

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

GERAL

Anvisa autoriza produto à base de cannabis em projeto com a Fiocruz

Avatar

Publicados

em


A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou autorização sanitária para um novo produto à base de cannabis com a participação da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), produzido pela empresa Prati, Donaduzzi e Cia. O preparado foi denominado Canabidiol Farmanguinhos 200 mg/mL.

O produto tem administração por via oral e é composto de 200 mg/ml de CBD, um dos princípios ativos da Cannabis sativa e de até 0,2% de THC (tetra-hidrocanabinol, o principal componente psicoativo da planta). O pedido foi feito pela Fiocruz em março deste ano. De acordo com a Anvisa, a análise levou 35 dias no total.  

O canabidiol só pode ser utilizado a partir de um determinado tipo de receita médica (tipo B) e somente no caso de esgotamento de outros tratamentos, conforme determina a legislação para o tema.

Ainda de acordo com o regramento da Anvisa, essas substâncias são produtos, e não medicamentos. Isso porque neste último caso precisa haver estudos clínicos que comprovem a eficácia das substâncias.

Até o momento, argumenta a Anvisa, as pesquisas científicas ainda não desenvolveram métodos para aferir as evidências e informações suficientes para que tais produtos sejam considerados medicamentos.

Leia Também:  Arco-íris em Marte? Perseverance captura imagem e esclarece mistério

Na avaliação do advogado da Comissão de Assuntos Regulatórios da Ordem dos Advogados do Brasil Rodrigo Mesquita, o deferimento envolve a pesquisa de um canabidiol com insumo importado pela Fiocruz. A regra existe desde 2019 e apenas agora houve uma aprovação desta, informou.

“A impossibilidade de se cultivar no país é um entrave central à própria realização de pesquisas com produtos derivados de cannabis. Enquanto não houver regulação que permita o cultivo não vai ser possível explorar a potencialidade que as instituições de pesquisa brasileiras têm nessa área.”

Edição: Maria Claudia

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

PIAUÍ

POLÍCIA

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA