AMARANTE

SAÚDE

Covid-19: cinco capitais suspendem vacinação total ou parcialmente

Publicado em

SAÚDE


Capitais de cinco estados suspenderam total ou parcialmente a aplicação de vacinas contra a covid-19 entre ontem (21) e hoje (22). As restrições ou suspensões se devem à alta adesão da população, à dificuldade de reabastecimento das doses adquiridas pelo Ministério da Saúde e distribuídas pelas secretarias estaduais ou à criação de um calendário exclusivo para aplicação das doses de reforço.

Em Florianópolis (SC), a vacinação hoje está restrita à 2ª dose em pessoas com 67 anos ou mais. Também poderão se imunizar as pessoas que receberam a 1ª dose da AstraZeneca há mais de 90 dias ou da Coronavac há mais de 28 dias, mesmo que não tenham completado o calendário adequadamente.

As pessoas que se enquadram nesta categoria têm seis pontos fixos para procurar a vacinação. É preciso levar documento com foto e comprovante da aplicação da 1ª dose. As informações com os pontos de vacinação estão no site da prefeitura. Na capital catarinense foram vacinadas até hoje 220.807 pessoas.   

Leia Também:  Covid-19: país tem 1,1 mil mortes e 64 mil casos nas últimas 24 horas

Em João Pessoa (PB), a imunização também foi limitada à 2ª dose para quem recebeu a 1ª dose da AstraZeneca há mais de 90 dias e para quem teve a aplicação da Coronavac há mais de 28 dias. Há 11 pontos para receber os imunizantes, divididos pelo tipo de vacina. Mais informações também disponíveis no site da prefeitura. Na capital paraibana foram imunizadas 405.667 pessoas.

Em Aracaju (SE), a aplicação da 1ª dose foi suspensa “em decorrência do quantitativo de pessoas vacinadas neste fim-de-semana acima da previsão estabelecida”. A cidade começaria a imunizar pessoas de 39 e 38 anos.

Na capital sergipana, a 2ª dose segue garantida. Quem possui essa dose da vacina da AstraZeneca agendada até o dia 30 de junho pode procurar um dos sete pontos da campanha de vacinação. Até agora, foram vacinados em Aracaju 252.145 pessoas, correspondente a 37,92% da população.   

Em Campo Grande (MS), a aplicação das doses também contemplou apenas a 2ª dose das marcas AstraZeneca e Coronavac. Poderão ser imunizadas as pessoas que receberam a 1ª dose da Coronavac até o dia 2 de junho ou que tiveram a aplicação da 1ª dose da AstraZeneca até o dia 22 de abril. A vacinação fez parte de um calendário exclusivo para aplicação das doses de reforço e a expectativa da secretaria é vacinar cerca de 5 mil pessoas.

Leia Também:  Na OMS, Queiroga faz apelo por liberação de vacinas contra covid-19

Foram disponibilizados pontos no sistema drive-thru, em postos de saúde quanto em unidades de saúde da família. A relação com os locais onde é possível se vacinar foi publicada no site da prefeitura de Campo Grande ().

Em São Paulo, os estoques foram utilizados ontem com a alta adesão da população, tendo 90% dos cidadãos entre 50 e 59 anos recebido a 1ª dose. Amanhã deve haver o retorno da aplicação da 2ª dose na capital paulista.

A reportagem procurou as secretarias de estado de Saúde dos estados citados e o Ministério da Saúde e aguarda posicionamento.

Edição: Fábio Massalli

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

SAÚDE

SP: 445 pessoas vão para o fim da fila por recusar marca de vacina

Publicados

em


A prefeitura de São Paulo registrou 445 recusas da vacina contra o coronavírus até a manhã de hoje (3). Elas assinaram um termo porque não aceitaram a marca de imunizante disponível no momento e, por isso, passaram para o fim da fila da vacinação.

A medida, adotada para coibir a escolha da marca de vacina, entrou em vigor na terça-feira (27) da semana passada, a partir de uma lei aprovada pela Câmara Municipal e sancionada pelo prefeito Ricardo Nunes. 

Assim, quem recusar a imunização ao ser informado sobre o fabricante da vacina só terá novamente a oportunidade de receber a dose quando todo o cronograma municipal de vacinação for concluído.

São abertas exceções apenas para gestantes e puérperas [que tiveram filhos recentemente] e para aqueles que tiverem comorbidade comprovada por recomendação médica.

A Secretaria Municipal de Saúde informou que as equipes buscam acolher e orientar as pessoas que tentam recusar a vacina, de modo a mostrar a importância da imunização. Na abordagem, são explicados os riscos de não se vacinar e que a eficácia de todas as marcas de imunizante usadas na campanha é semelhante.

Leia Também:  Vacina: DF começa a cadastrar pessoas com comorbidades

Edição: Kleber Sampaio

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

PIAUÍ

POLÍCIA

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA