AMARANTE

SAÚDE

Covid-19: cidades do Rio de Janeiro aplicam segunda dose da CororoVac

Avatar

Publicado em

SAÚDE


Com a entrega de uma nova remessa de doses da CoronaVac ao estado do Rio de Janeiro e os envios divulgados pelo Instituto Butantan, municípios que suspenderam o calendário de aplicação da segunda dose na quinta-feira passada (29) retomam hoje (3) a imunização contra a covid-19.

A distribuição das vacinas para os municípios foi feita no fim de semana pela Secretaria de Estado de Saúde (SES). Foram entregues 54.160 doses da CorovaVac e 595.820 da Oxford/AstraZeneca.

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) da capital anunciou, na noite de ontem (2), as novas datas previstas para a segunda dose da CoronaVac. A partir de hoje podem tomar a vacina os idosos com mais de 70 anos. Amanhã, será a vez de quem tem 67 anos ou mais. No sábado (8), receberão a segunda dose pessoas com 66 anos. Na quinta-feira da semana que vem (13), quem tem 64 e 65 anos. Os que têm 61, 62 e 63 anos poderão completar o esquema vacinal no dia 17.

Outros grupos que tenham recebido a primeira dose da CoronaVac entre os dias 5 e 9 de abril devem comparecer aos postos de vacinação dez dias após a data marcada para a segunda dose em seus comprovantes. Os que receberam a primeira aplicação entre 10 e 17 de abril devem tomar a segunda dose no dia 17 de maio. Para quem tomou a primeira dose depois do dia 17 de abril não haverá adiamento na aplicação da segunda dose.

Leia Também:  Anvisa recebe pedido de uso emergencial da vacina CoronaVac

A Secretaria Municipal de Saúde ressalta que a segunda dose da CoronaVac será aplicada somente no período da manhã.

Maricá

A prefeitura de Maricá, na região metropolitana do Rio, também retoma hoje o calendário de vacinação dos grupos prioritários. A cidade recebeu 480 doses da CoronaVac e até sábado aplicará a segunda dose apenas em quem recebeu a primeira há mais de 28 dias.

Para a imunização com a vacina da AstraZeneca, o novo cronograma começa hoje e vai até sábado, mantendo o escalonamento decrescente por idade e comorbidades. Estão incluídas as gestantes e puérperas, pessoas com síndrome de down, doença renal crônica e deficiência permanente.

São Gonçalo

Outro município que retoma hoje o calendário da segunda dose da CoronaVac é São Gonçalo, também na região metropolitana. Poderão completar a imunização com a vacina produzida pelo Instituto Butantan  aqueles que tomaram a primeira dose há mais de 21 dias.

A prefeitura reservou local e horário para essa aplicação. Será das 8h às 17h nos polos sanitários Washington Luiz, no Zé Garoto, e Hélio Cruz, em Alcântara, além dos postos de drive thru da Umpa de Nova Cidade, Clube Mauá, no centro; Centro de Tradições Nordestinas, em Neves e no Centro de Referência da Assistência Social (Cras) de Vista Alegre.

Leia Também:  Covid-19: Brasil tem 13,9 milhões de casos e 371,6 mil mortes

A vacinação com a primeira dose da AstraZeneca será feita hoje e amanhã para idosos a partir de 60 anos, pessoas com comorbidades a partir de 54 anos, grávidas com comorbidades, profissionais de saúde a partir de 35 anos e trabalhadores da saúde da linha de frente de qualquer idade.

Campos dos Goytacazes

Em Campos dos Goytacazes, no norte fluminense, a aplicação da segunda dose da CoronaVac será retomada amanhã, exclusivamente para os idosos que tomaram a primeira até o dia 2 de abril. Os profissionais de saúde que estão com a segunda dose pendente devem fazer um cadastro por whatsApp no telefone (22) 99986-6796, por meio do qual será feita a convocação para receber o imunizante.

Para imunização com a AstraZeneca, o município convocou esta semana as pessoas de 59 anos para tomar a primeira dose. Mulheres devem comparecer aos postos na quinta-feira (6) e os homens na sexta-feira (7).

Niterói, na região metropolitana, Arraial do Cabo, na região dos lagos, Duque de Caxias e Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, ainda não anunciaram a retomada da aplicação da segunda dose da CoronaVac.

Edição: Kleber Sampaio

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

SAÚDE

Botucatu inicia neste domingo vacinação em massa da população adulta

Avatar

Publicados

em


Toda a população adulta de Botucatu, no interior paulista, vai ser vacinada hoje (16) contra a covid-19 como parte de um estudo da vacina da Oxford/AstraZeneca/Fiocruz. Botucatu tem cerca de 150 mil habitantes, dos quais 106 mil são maiores de 18 anos. Como parte dessa população já foi vacinada contra a covid-19, a expectativa é imunizar agora 80 mil pessoas com idade entre 18 e 60 anos.

Segundo o cronograma da prefeitura, a partir das 8h deste domingo, recebe a vacina o grupo que está na faixa de 51 a 60 anos de idade. Às 10h30, começa a vacinação de pessoas com idade entre 41 e 50 anos; às 13h, a dos que têm de 31 a 40 anos e, por fim, às 15h30, a do grupo com idade entre 18 e 30 anos.

A vacinação em massa tem apoio da Justiça Eleitoral, da regional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Botucatu e do Ministério Público e será exclusiva para os moradores da cidade.

De acordo com a prefeitura, os que estão na faixa acima de 60 anos não foram incluídos no estudo porque já estão vacinados pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI). Os menores de 18 anos ainda não serão ainda vacinados porque, até o momento, não houve estudos sobre a aplicação do imunizante da Oxford/AstraZeneca/Fiocruz nesse público.

As gestantes também não serão vacinadas, seguindo orientação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que não recomenda a aplicação do imunizante nesse grupo.

Leia Também:  UFSCar oferece assistência a idosos que sofreram quedas

Cadastramento

Para tomar a vacina, os moradores de Botucatu precisam estar cadastrados no site vacinaja.sp.gov.br. As pessoas precisam levar aos locais de vacinação comprovante de endereço recente em seu nome, título eleitoral e documento com foto. Eleitores da cidade poderão ser vacinados em suas próprias zonas eleitorais.

A prefeitura informa que não serão aceitos documentos impressos da internet. Cônjuges poderão apresentar comprovante de endereço conjunto, desde que acompanhado de certidão de casamento original, ou contrato de união estável original, ou declaração de acordo. Filhos também poderão apresentar comprovante de endereço dos pais, desde que comprovem a filiação com documento oficial.

As pessoas que tomaram a vacina da gripe (H1N1) em período inferior a 15 dias da data da imunização em massa, ou que tiveram covid-19 no prazo de 30 dias antes da vacinação, não deverão se apresentar hoje para receber a dose da Oxford/AstraZeneca/Fiocruz.

Segundo a prefeitura, nesses casos, a pessoa deve se cadastrar no vacinaja.sp.gov.br e no site botucatu.sp.gov.br, entrando no banner da vacinação em massa e preenchendo o cadastro. Esse grupo deverá ser vacinado entre os dias 18 e 22 de maio.

O estudo

De acordo com a Universidade Estadual Paulista (Unesp), uma das instituições responsáveis pelos testes com essa vacina em Botucatu, o estudo clínico vai atingir toda a população da cidade acima de 18 anos que ainda não foi vacinada. Além da Unesp, participam do estudo a Universidade de Oxford, no Reino Unido, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), o laboratório AstraZeneca, a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), a prefeitura de Botucatu, o Ministério da Saúde e a Fundação Bill e Melinda Gates.

Leia Também:  Anvisa inspeciona empresa parceira na produção da Sputnik V

A vacina será doada pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI) e aplicada em duas doses, com intervalo de três meses entre a primeira e a segunda.

O estudo pretende investigar a efetividade do imunizante, ou seja, dar a real dimensão de como este pode impactar na redução do número de casos, internações e mortes por covid-19. Estudo semelhante já está em andamento na cidade de Serrana, também no interior paulista, mas com a CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan e a farmacêutica chinesa Sinovac. Os resultados desse estudo ainda não foram divulgados.

De acordo com o Ministério da Saúde, o estudo pretende ainda fazer a testagem em massa da população e o sequenciamento genético da covid-19 entre os casos positivos. Por isso, será possível descobrir a efetividade do imunizante contra as variantes do novo coronavírus que circulam na cidade.

O estudo terá duração estimada de oito meses, o que inclui a aplicação das duas doses e o acompanhamento da população que recebeu essas vacinas.

Edição: Nádia Franco

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

PIAUÍ

POLÍCIA

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA