AMARANTE

SAÚDE

Covid-19: cidade do Rio divulga novo calendário de vacinação

Avatar

Publicado em

SAÚDE


A Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro (SMS) divulgou um novo calendário de vacinação na capital que se completa no dia 24 de abril, na chamada repescagem, desta vez, para pessoas com 60 anos ou mais. A repescagem é para atender as pessoas que não puderam comparecer na sua data determinada. Hoje a imunização foi feita para as que têm 71 anos, sendo mulheres pela manhã e homens à tarde. Amanhã (30) a faixa de idade é de 70 anos, seguindo o cronograma até sábado para pessoas de 67 anos ou mais.

A partir da próxima semana, a SMS volta a fazer a divisão dos dias para homens e mulheres entre 66 e 64 anos. Na segunda (5) serão as mulheres de 66 anos e no dia seguinte os homens da mesma idade continuando até a repescagem no sábado (10) para as pessoas de 64 anos ou mais. A semana seguinte permanece com o mesmo esquema, mas para pessoas de 63 e 62 anos. O calendário termina na semana entre 19 e 24 de abril para quem tem 61 e 60 anos.

Leia Também:  UE pede reforma rápida da OMS e mais transparência em pandemias

O prefeito do Rio, Eduardo Paes divulgou o calendário no seu perfil no Twitter e recomendou que a população busque sempre os anúncios oficiais. “Olha que notícia boa! Nosso calendário completo até chegar às pessoas com 60 anos ou mais. Vejam sempre o calendário oficial aqui ou nas páginas da prefeitura. Não acreditem em fake! Bora vacinar! O calendário segue a remessa de doses informada pelo ministério da saúde”, postou Paes.

Calendário de vacinação da cidade do Rio de Janeiro.Calendário de vacinação da cidade do Rio de Janeiro.

Calendário de vacinação da cidade do Rio de Janeiro. – Divulgação/Prefeitura do Rio de Janeiro

Edição: Bruna Saniele

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Avatar

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

SAÚDE

Covid-19: vacinação de pessoas com comorbidades começa em maio

Avatar

Publicados

em


A vacinação de pessoas com comorbidades contra a covid-19 deve começar em maio, segundo previsão do Ministério da Saúde. O termo é empregado para designar pessoas com condições de saúde, como doenças graves, que as deixam com mais risco de uma eventual infecção pelo novo coronavírus evoluir para um quadro grave.

O ministério calcula que este grupo abarque 17,7 milhões de pessoas. Este é o segmento prioritário logo após idosos em instituições de longa permanência, trabalhadores da saúde, povos indígenas e idosos. Parte dos profissionais de forças de segurança foi incluída antes do grupo com comorbidades.

O Ministério da Saúde orienta as autoridades locais de saúde que dentro do universo das pessoas acometidas com comorbidades seja empregado o critério de idade em grupos de intervalos de cinco anos.

Assim, seriam imunizados primeiro as pessoas com 55 a 59 anos. Em seguida, aquelas com 50 a 54 anos. E assim por diante até a idade mínima dos grupos prioritários, de 18 anos.

A Agência Brasil entrou em contato com o Ministério da Saúde para saber o número de vacinas disponíveis e quanto tempo levará para concluir o atendimento dessas pessoas e aguardo retorno.

Leia Também:  Confira os vacinômetros contra a covid-19 dos estados do país

Segundo o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19, estão listadas as seguintes condições dentro do segmento de pessoas com comorbidades:

– Qualquer tipo de diabetes

– Pneumopatias crônicas graves

– Hipertensão arterial resistente

– Hipertensão arterial estágio 3

– Hipertesão arterial estágios 1 e 2 com lesão em órgão-alvo

– Insuficiência cardíaca

– Hipertensão pulmonar

– Cardiopatia hipertensiva

– Síndromes coronarianas

– Valvopatias

– Miocardiopatias e pericardiopatias

– Doenças da aorta, dos grandes vasos e fístulas arteriovenosas

– Arritmias cardíacas

–  Cardiopatias congênitas no adulto

– Dispositivos cardíacos implantados

– Doença cerebrovascular

– Doença renal crônica

– Imunossuprimidos

– Anemia falciforme

– Obesidade mórbida

– Síndrome de down

– Cirrose hepática

Edição: Bruna Saniele

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

PIAUÍ

POLÍCIA

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA